Conclusão


Conclusão

As lâmpadas fluocompactas economizadoras de energia disponíveis comercialmente produzem radiação de radiofrequência, radiação ultravioleta e energia suja; elas contêm mercúrio – uma neurotoxina bem conhecida; e estão fazendo adoecer algumas pessoas, incluindo aquelas que sofrem de enxaquecas, epilepsia, problemas de pele e sensitividade eléctrica. Em vez de promoverem as lâmpadas fluocompactas os governos dos vários países deveriam insistir que os fabricantes produzissem lâmpadas limpas do ponto de vista electromagnético e que não contivessem químicos tóxicos. Algumas destas estão disponíveis (CLEDs) mas ainda não a preços acessíveis. Com um número crescente de pessoas contraindo hiper-sensitividade eléctrica estamos perante um novo, emergente e sério risco para a saúde que, provavelmente, se irá agravar, até que sejam impostas normas restringindo a nossa exposição aos poluentes electromagnéticos. Acresce que, com a eliminação imprópria destas lâmpadas, estamos a criar uma bomba-relógio devido ao mercúrio. Visto que toda a gente usa lâmpadas de iluminação e visto que as lâmpadas incandescentes, ineficientes, estão a ser retiradas do mercado em muitos países durante 2010-2014, esta é uma área que exige uma atenção imediata.
http://www.oag-bvg.gc.ca/internet/English/pet_254_e_31427.html
 




©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional