Artrite


(método   idade em que iniciou tratamento     tempo que durou     peso perdido)      
Legenda

Artrite
     1.  George H. Malkmus e Rhonda Malkmus, EUA
    
9.  Pat Blasingame, Texas, EUA
    
29. Eric Cromwell, Ohio   (Aleluia  na  na   86kg)

fibromialgia
    
25. Michelle Watkins   (Aleluia  na  na   4 kg)
mãos deformadas
lúpus
osteoartrite
artrite reumatóide




1.  George H. Malkmus e Rhonda Malkmus, EUA
No dia 12 de Fevereiro de 1934, por volta das 7:24 da manhã, eu entrei neste mundo. Não me lembro do acontecimento. As minhas primeiras recordações remontam à idade dos três anos.  Eu me lembro de chorar ao ser empurrado numa cadeira de rodas pelo corredor do hospital até à sala de operações onde os médicos retiraram as minhas anginas. Outras recordações claras são as frequentes idas ao dentista e a dor terrível associada à broca para perfurar o dente e colocar a obturação. Quando cheguei à adolescência todos os dentes na minha boca tinham duas ou três obturações.
    Aos vinte e tal anos, quase trinta, comecei a usar óculos com lentes grossas e quase todos os anos aumentava a graduação à medida que os meus olhos lentamente se deterioravam. De facto, a minha saúde ia-se acabando com novos problemas físicos surgindo um após outro: sintomas como hemorroidas, sinusite aguda e alergias, pressão alta e fadiga; iam-se acrescentando às borbulhas na cara que eu já tinha desde a  juventude.  A culminação destes muitos  males físicos chegou na idade dos quarenta e dois quando o médico me disse que eu tinha um cancro do cólon.
    Esta notícia devastou-me pois ainda há pouco tempo tinha assistido à morte da minha mãe depois de uma batalha horrível contra esta mesma doença. Os médicos me disseram que foi uma fraqueza genética herdada da minha mãe que tinha causado o meu cancro. O médico tinha primeiro atribuído a minha pressão alta ao meu pai, que teve vários ataques de coração e derrames antes de finalmente morrer com um ataque fulminante de coração.
    Será que todos estes problemas físicos que eu e os meus pais aprensentamos são um fenómeno natural e incontrolável, ou haverá talvez uma explicação melhor que explique a razão porque eu e os meus pais e todos os seres humanos sofremos quebra física?
    Ao recordar as agonias que a minha mãe passou quando se entregou aos tratamentos tradicionais cirurgia, quimioterapia e radiação, eu resolvi procurar conselho noutro lugar. Então, em 1976, eu visitei um velho amigo pregador, o Irmão Lester Roloff, que me animou a trocar a minha alimentação típica americana padrão para a alimentação original que Deus deixou à humanidade em Génesis 1:29.
    Mudei a minha alimentação e realmente ao fim de um ano todos os meus males físicos (inclusive o meu tumor do tamanho de uma bola de ténis) tinham simplesmente desaparecido. Desde que fiz essa mudança há mais de vinte anos não tenho tido nenhum tipo de doença ou mal-estar físico.
    Em Janeiro de 1991, Rhonda (que agora é a minha esposa) participou de um seminário sobre saúde que eu estava guiando. Na época ela sofria de artrite reumática e estava excessivamente gorda. Ela não conseguia virar a cabeça mais do que dois ou três centímetros em qualquer direção por causa da artrite. Não podia andar um quarteirão sem tremenda dor e dificuldade. Às vezes ela chegava a tomar seis ibuprofen por hora por causa da dor. Um ano depois de ter mudado de alimentação, já tinha perdido 42 Kg, passou a usar tamanho 33 em vez de 56 em vestidos e todas as manhãs fazia 6 Km a pé em menos de uma hora sem dor. Todos os problemas de artrite desapareceram.
(Back to the Garden, revista Nº 18 – Primavera/Verão '99)





9.  Pat Blasingame, Texas, EUA
Caro Dr. Malkmus: Uma senhora chamada Janet Pauley contou que vários anos atrás teve um cancro linfático incurável. Mas com uma alimentação de produtos crus acima de tudo e de Barleygreen recuperou a saúde... era como se Deus me estivesse dizendo: “Este é o Meu caminho, é a Minha verdade”. Várias semanas depois disso, o nosso filho mais novo nos entregou um livro que lhe foi dado por um colega. O nome do livro era “O Caminho de Deus para a Saúde Máxima” (God´s Way to Ultimate Health). Convenci a minha filha [que tinha sido diagnosticada com Linfoma Imunoblástico de Células Grandes – um linfoma muito agressivo de rápido crescimento] a mudar para uma alimentação acima de tudo de produtos crus e juntamente com ela nós também mudamos de alimentação.
    Nós tomávamos Barleygreen todos os dias mas ela não aguentava tomar “aquela coisa verde”. Os dois primeiros tratamentos de quimioterapia foram devastadores. A contagem dos glóbulos brancos caiu terrivelmente e certa vez ela teve que ser hospitalizada. Ela sofreu efeitos secundários que nem se falam e teve dores por todo o lado. Dentro de duas semanas notei que a minha fadiga crónica tinha desaparecido. Embora eu estivesse cuidando da casa e da família da minha filha e depois tinha que voltar e cuidar também da minha casa todos os dias, mesmo assim não estava nada cansada. Além disso a minhas dores no túnel cárpeo desapareceram, dor da artrite desapareceu, a psoríase na face foi embora, várias alergias a poeira de tapete desapareceram, e emagreci. O meu marido emagreceu, todos os sinais da artrite dele desapareceram, a sua pressão sanguínea baixou mais de vinte pontos, e todas as sinusites causadas por alergias desapareceram completamente. No mínimo ficamos espantados!
    Justamente antes de começar a sua terceira quimioterapia a minha filha e cunhado mudaram de médico. O novo médico aumentou a dosagem de quimioterapia em 38%. A dose era tão forte que eles acharam que todas as vezes que tomava teria que ser hospitalizada. As previsões eram muito sombrias, menos de 40% de chances de sobreviver. Com isto em mente, comecei a suplicar e a rogar à Kathy que tomasse o Barleygreen. Até pedi a Deus que mudasse as suas papilas gustativas. Finalmente ela concordou em tentar.  Ela iniciou a dosagem aumentada, e desta vez a contagem dos glóbulos brancos permaneceu elevada quase até o final do tratamento. Todas as vezes que ela entrava na clínica com a nova força que ela tinha adquirido eles nem queriam acreditar! Kathy terminou o seu último tratamento em Outubro de 1996.
    Na verdade ela deveria ter feito mais um tratamento, mas achou que o seu corpo já tinha sofrido o suficiente. O médico dela concordou! Em Novembro fizeram uma biópsia à medula e juntamente com as análises, não havia sinal de cancro! Nós louvamos a Deus e damos-Lhe toda a glória por ter sido fiel em nos guiar para a cura! Agora temos os nossos filhos e netos a tomar Barleygreen e isso tem-se tornado um modo de vida enquanto que as alergias são coisas do passado.
(Back to the Garden, revista Nº 16 – Inverno/Primavera de 1998)



25. Michelle Watkins   (Aleluia  na  na   4 kg)
A Michelle Watkins escreve: “Estou tão agradecida por um amigo me ter falado sobre o vosso ministério Hallelujah. Desde que comecei com esta nova forma de me alimentar perdi 4 quilos, o meu hálito está melhor, e o tártaro nos meus dentes desapareceu. Tanto o meu filho como eu temos fibromialgia e estamos a sentir mais energia. Foi difícil retreinar a maneira de pensar do meu filhos “preciso de proteína da carne e do leite”, mas depois de ler parte do seu livro que falava sobre campeões olímpicos que eram vegetarianos ele decidiu experimentar os sumos. Deu-me um abraço um dia depois do treino de futebol americano e agradeceu-me por lhe fazer o sumo de cenoura e maçã. Disse que tinha mais energia para correr e já não se sente tão exausto depois dos treinos. Vai deixar os laticínios e espero retirá-lo da carne. É difícil retreinar uma família cheia de adolescentes e um marido que cresceu na DAP (dieta americana padrão), mas não vou desistir! Obrigado por tudo o que faz e fico na expectativa das vossas dicas de saúde semanais.”
(Hallelujah Health Tip, issue #196, 23.08.01)




29. Eric Cromwell, Ohio   (Aleluia  na  na   86kg)
O Dr. Eric Cromwell vive no Ohio e tem praticado estomatologia há 33 anos. A sua formação inclui um B.S. e um M.S. em farmacologia, assim como um D.D.S. em estomatologia. A sua razão para querer seguir o treino para ministro de saúde: “Ajudar os outros, nomeadamente aqueles com problemas de controle de peso e doenças causadas pela SAD [dieta americana padrão]. Eu estava mórbidamente obeso e ela [a dieta aleluia] foi um sucesso tremendo comigo. Até este momento perdi 86 quilos depois de não ter conseguido perder peso ao fazer os programs Weight Watchers e Optifast três vezes, uma vez o programa Topps e uma vez participei no Centro de Perda de Peso dos Médicos. Outros problemas físicos eliminados pela dieta incluem: artrite, trombose, infecções na pele, alergias, febre dos fenos, e há mais de 11 meses que não tenho que ir ao hospital.”
(Hallelujah Health Tip, edição #189, 5.07.01)






Legenda
método:   aleluia = Dieta Aleluia (http://www.hacres.com/)
tempo que durou: sem = semanas
na = dados não disponíveis












©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional