Aglomerado de doenças



 

País nº de casos
Austrália  3
Ásia  
   Israel  3
América do Norte  2
Europa  
   Alemanha  2
   Espanha  90
   Irlanda  1
   Itália  1
   Látvia  1
   Portugal  1
   R Unido  39
   Suíça  1
   144


 
AUSTR_LIA.png

AUSTRÁLIA


“ESTAMOS DENTRO DOS LIMITES, PORTANTO NÃO PODE SER A RADIAÇÃO”
1) Universidade RMIT, Melburne
Nos inícios de Maio de 2006 a Universidade RMIT em Melburne tomou a decisão sem precedentes de desocupar os dois andares superiores do edifício 108 no seu pólo de Bourke Street. Isto em resposta a ter sido detectado que cinco dos seus funcionários tinham tumores cerebrais, assim como mais dois em 1999 e 2001. Dois eram malignos e cinco eram benignos. Cinco dos sete casos trabalhavam no andar superior do edifício e todos excepto um trabalharam no edífico durante os 10 anos precedentes. Os outros dois casos estavam localizados no 11º e 14º andares. Segundo os mídia a causa suspeita seriam as estações base de telemóveis no topo do edifício.
     Deve ser lembrado que os tumores cerebrais geralmente não são diagnosticados até, pelo menos, 10 e, muitas vezes, 30 anos depois de terem sido iniciados. Isto significa que as OEM (ondas electromagnéticas) podem ter contribuído apenas como factor promotor e talvez algo como a libertação de um gás radioactivo tenha ocorrido à volta de 10 anos atrás, o qual, ao ser distribuído pelo sistema de ar-condicionado do edifício, poderá ter sido a causa do agrupamento de casos.
(http://www.powerwatch.org.uk/news/20060621_rmit.asp)

A Universidade RMIT anunciou que as vistorias ambientais não identificaram “nenhuma anomalia” no topo dos dois andares do edifício de Melburne onde foi identificado um agrupamento de casos de tumores cerebrais.
    [...] Todos os níveis medidos são comparados com os limites australianos de exposição em vigor, os quais, como a maioria dos padrões dos outros países, não são designados para proteger contra riscos de cancro mas sim contra choques e queimaduras. Os níveis medidos são uma infima fracção daqueles que representariam riscos de saúde agudos, mas estas comparações não nos dizem nada quanto à possibilidade de ocorrência de riscos crónicos (e.g. cancro). (http://www.microwavenews.com/nc_may2006.html)

“ESTAMOS DENTRO DOS LIMITES, PORTANTO NÃO PODE SER A RADIAÇÃO”
2) Estação ABC de Brisbane
A estação ABC de Brisbane vai mudar de sítio devido ao risco de cancro da mama.
Os estúdios da Australian Broadcasting Corporation em Brisbane vão ser evacuados dentro de algumas semanas depois de uma investigação sobre as incidências de cancro da mama nos funcionários da ABC ter descoberto que existe, quase de certeza, um aumento do risco de cancro do seio nos estúdios em Toowong. O pessoal da estação vai mudar-se para umas instalações no Monte Coottha, no início do ano novo.
    Desde meados deste ano, um painel independente, chefiado pelo Professor Bruce Armstrong, do Centro de Cancro de Sidney na Universidade de Sidney, tem estado a investigar um aparente aglomerado de casos de cancro do seio nos estúdios da ABC, onde treze funcionários ou antigos funcionários foram diagnosticados com a doença.
    O conteúdo do relatório foi suficiente para convencer o director geral, Mark Scott, de que o pessoal da ABC de Brisbane necessitava de ser relocalizado imediatamente. “A única coisa que podíamos fazer, à luz deste relatório, era tomar acção decisiva, e foi por isso que eu e o Professor Armstrong tivemos hoje uma reunião com o pessoal e lhes transmitimos que iríamos inciar uma mudança de local imediatamente”, disse o Sr. Scott.
    Contudo, apesar de testes extensivos nos estúdios de Toowong – incluindo testes de equipamento, níveis de radiação ionizante, factores de risco químico, energia de rádio frequência e frequências de energia extremamente baixa – o painel de investigação foi incapaz de explicar o aparente aglomerado de casos de cancro do seio.
    “Em última análise, depois de todo este trabalho, chegamos a uma negativa completa”, disse o Professor Armstrong. “Não vemos nada que possa explicar um aumento no risco de cancro do seio neste local.” (http://www.southgatearc.org/news/december2006/abc_brisbane.htm)

3) Estação de Correio de Capalaba, Brisbane, Queensland.
Trabalhadores no Centro Comercial e de Entrega de Correio de Capalaba [Capalaba postal Delivery and Business Centre], em Brisbane, votaram avassaladoramente em 3 de Maio [2001] exigindo um inquérito detalhado quanto aos problemas sérios de saúde que apareceram no seu centro de correios. Também pediram para serem relocalizados, numa contradição às declarações públicas da gerência da Australia Post, de que os funcionários tinham sido confortados com a suas alegações, baseadas em relatórios preliminares inconsistentes, de que o edifício era seguro.
    [...] O centro de correios em Capalaba, um subúrbio da Brisbane exterior, fica junto a uma sub-estação eléctrica da Energex. Nos últimos 10 anos, de um total de 53 funcionários a tempo inteiro, 25 desenvolveram cancro, pelo menos quatro morreram e outros têm doenças graves. Contando com os trabalhadores a tempo parcial, 25 porcento dos trabalhadores desenvolveram doenças desde 1998.
    [...] Apenas uma semana mais tarde, em 25 de Abril, antes que os resultados dos testes adicionais fossem conhecidos, Queensland Health e Australia Post apressaram-se em dar uma conferência de imprensa conjunta para alegar que os trabalhadores da estação de correios não tinham razão para estarem preocupados.
    O director-geral da Queensland Health, Brian Campbell e o conselheiro médico da Australia Post, Ed Castrisos, revelaram que 30 em 100 trabalhadores, no passado e no presente, tinham contraído cancro e doenças auto-imunes. Contudo, alegaram que estes resultados eram muito provavelmente “uma coincidência”.
 (http://www.wsws.org/articles/2001/may2001/post-m05.shtml)




EUROPA.png


ESPANHA

cancro e outras patologias, associados pelas populações locais às antenas de telemóveis (2000-2007)
http://www.avaate.org/article.php3?id_article=17
http://twoday.net/static/omega/files/cancer_cluster_in_spain2000_2004.htm

Províncias de Espanha
http://mapsof.net/spain/static-maps/png/provincias-de-espana

ALICANTE

-) Torrevieja
-) Benidorm
-) Torrevieja (La Calera)
19) Barrios Bacarot y Pla
38) Rojales
78) Torrevieja (Urbanización La Siesta)
88) Barrio de Benalua (Alicante)
ASTÚRIAS
36) Gijón (El Bibio)
53) Gijón
64) Oviedo (Barrio de Buenavista)
69) Avilés (Barrio La Magdalena)
73) Gamones (Valdés)
BALEARES
23) Portocolom (Mallorca)
47) Villafranca
62) Sant Lluís (Menorca)
74) Es Molinar (Mallorca)
82) Felanitx
86) Marratxí (Sa Cabaneta)
BARCELON
22) Barcelona
35) Sant Boi de Llobregat
43) Distrito del Eixample
51) Distrito del Eixample
61) Barcelona
CÁCERES
28) Plasencia
32) Coria
CÁDIZ
-) Conil
25) Jerez
CASTELLÓN
24) Alcossebre
33) Burriana
49) Onda
66) Benicàssim
CIUDAD REAL
84) Moral de Calatrava
CÓRDOBA
-) Córdoba (Colegio Jesús Nazareno)
21) Montilla
39) Fernán Nuñez e Nueva Carteya
GIRONA
-) Roses
-) Figueres
GUIPUZCOA
58) San Sebastian
59) Arrasate
HUELVA
68) Huelva (Barrio Villamundaka)
ILHAS CANÁRIAS
50) La Isleta
57) Lanzarote
63) Santa Brígida (Gran Canaria)
65) Telde (Gran Canaria)
67) Gran Tarajal (Fuerteventura)
79) Guía de Isora (Santa Cruz de Tenerife)
80) San José (Las Palmas de Gran Canaria)
JAÉN
15) Torreperegil
LA CORUÑA
-) Barrio de las Flores
45) Fisterra
77) Ferrol (Barrio de Cánido)
87) La Coruña (Barrio Las Flores)
LÉON
18) Zona de Mariano Andrés
LLEIDA
37) Lleida (Universitat)
44) Rambla D’Aragó
MADRID
-) Villaviciosa de Odón
17) Barrio de Las Musas
42) Leganés
48) Móstoles
54) Majadahonda
72) Meco
85) Getafe
MÁLAGA
16) Ronda
70) Mijas (Urbanización Riviera del Sol)
89) Málaga
MURCIA
-) Totana
20) Cartagena
26) Cieza
31) San Ginés
46) Molina de Segura
71) Murcia (Barrio de Santiago el Mayor)
76) La Unión
NAVARRA
75) Barrio de Chantrea (Pamplona)
PALENCIA
29) Palencia (Cuartel Guardia Civil)
PONTEVEDRA
83) Salceda (Vigo)
90) Moraña   
SALAMANCA
27) Salamanca
34) Santa Marta de Tormes
SEVILLA
-) Barrio de S José de Palmete
52) Dos Hermanas
56) Villanueva del Río
TARRAGONA
60) Tarragona (C/ Jaume I)
VALENCIA
-) Quart de Poblet
-) Ondara
30) Alzira
55) Sagunto
VALLADOLID
-) Valladolid
ZARAGOZA
40) Barrio de Miralbueno
41) San Juan de la Peña
81) Zaragoza (Avenida de Cataluña)

PROVÍNCIA    
LOCALIDADE   
Nº DE CASOS E PATOLOGIAS
(JORNAL OU REVISTA, DATA)   

                   
ALICANTE
-) Torrevieja
13 mortes por cancro
(Las Provincias, 21.11.2000)   

-) Benidorm
3 casos de cancro
Diario Información    30.08.2001

-) Torrevieja (La Calera)
7 casos de cancro
La Verdad    25.03.2002           

19) Barrios Bacarot y Pla
vários casos de cancro, 4 mortes e 4 abortos
Diario Información    13.05.2003       

38) Rojales
12 casos de cancro, além de doenças renais, abortos e malformações
Diario Información de Alicante    07.03.2004       

78) Torrevieja (Urbanización La Siesta)
Elevado número de doentes com cancro entre os residentes. Os vizinhos falam em 9 casos de cancro em apenas um dos blocos afectados
Información de Alicante    23/01/07   

88) Barrio de Benalua (Alicante)
Multiplicam-se os casos de cancro e as mortes pereto das antenas
La Verdad    27/04/07       

ASTÚRIAS
36) Gijón (El Bibio)
11 casos de tumores em alguns edifícios com antenas. 1 linfoma de Hodking, 1 carcinoma suprarenal, 1 cancro da língua, 1 cancro da próstata, vários cancros da mama, 1 cancro de ovário, lesões coronária graves, alergias e 7 mortes por doenças graves
La Nueva España    18.02.2004 e 12.03.2004       

53) Gijón
Um estudo realizado pelos alunos de um colégio detecta que nos lugares mais irradiados pelas antenas de telemóveis se os casos de cancro disparam
La Nueva España    20, 21 e 24/6/05       

64) Oviedo (Barrio de Buenavista)
Nos últimos quatro anos houve dez afectados por enfermidades cancerígenas, cardiovasculares e similares, com oito mortes
La Nueva España    24/03/06       

69) Avilés (Barrio La Magdalena)
numerosos casos de cancro, nervosismo, ansiedade, insónia e dores de cabeça
La Nueva España    16/06/06   

73) Gamones (Valdés)
Número anómalo de problemas dérmicos e transtornos do sono
La Voz de Asturias    05/10/06   

BALEARES
23) Portocolom (Mallorca)
23 casos de cancro   
Última Hora Digital    12.08.2003       

47) Villafranca
numerosos casos de cancro e tumores cerebrais
Última Hora Digital    07.01.2005       

62) Sant Lluís (Menorca)
Desde que se instalaram as antenas houve 11 casos de cancro localizados nos arredores
ültima hora digital    13/03/06     

74) Es Molinar (Mallorca)
Vários casos de cancro, leucemia e várias pessoas falecidas
Última Hora Digital    17/11/06       

82) Felanitx
Trinta e duas pessoas afectadas por enfermidades graves e outras quinze tiveram abortos. Além disto nestes últimos anos morreram mais pessoas do que o habitual devido a enfermidades e não devido à idade
ültima hora digital    01/03/07   

86) Marratxí (Sa Cabaneta)
Os vizinhos manifestam estar alarmados com a proliferação de mortes e doentes de cancro que se detectaram entre os residentes próximos a estas estações
Libertad Balear.com    30/03/07       

BARCELONA
22) Barcelona
2 mortes por leucemia
La Vanguardia    20.06.2003       

35) Sant Boi de Llobregat
6 casos de cancro no mesmo quarteirão de habitações
El Punt    13.02.2004       

43) Distrito del Eixample
2 mortes com leucemia, 1 cancro, vários casos de alteração no sangue
El Periódico de Catalunya    28.05.2004       

51) Distrito del Eixample   
Pelo menos uma dezena de casos de cancro com cinco falecimentos. A maioria são leucemias, cancro da medula óssea e tumores cerebrais. Uma vizinha que percorreu mais exaustivamente os blocos afectados contabilizou mais de 80 casos de cancro.
El Periódico de Catalunya     06/04/05       

61) Barcelona
Informações médicas dos vizinhos mostram cancro, linfomas e hipertiroidismo
20 Minutos    08/03/06       

CÁCERES
28) Plasencia
7 casos de cancro
El Periódico de Extremadura    13.11.2003       

32) Coria
mais de 20 casos de cancro em jovens
El Periódico de Extremadura    17.12.2003   

CÁDIZ
-) Conil
numerosos casos de cancro e problemas de tiróide
Diario de Cádiz    09.02.2003           

25) Jerez
vários casos de cancro
Diario de Jerez    03.09.2003       

CASTELLÓN
24) Alcossebre
6 casos de cancro
El Periódico Mediterráneo    27.08.2003       

33) Burriana
cancro em 4 crianças da mesma escola em 3 anos
El Periódico del Mediterráneo    15.01.2004   

49) Onda
Número alarmante de casos de cancro e insónia nos vizinhos da Plaza de España
Levante digital    26/01/05   

66) Benicàssim
A Associação Espanhola Contra o Cancro da localidade considera que a antena tem uma relação directa com os dez casos de cancro detectados nas suas imediações
Levante-EMV    29/03/06         

CIUDAD REAL
84) Moral de Calatrava
Numerosos caso de cancro
La Tribuna de Ciudad Real    21/30/7   

CÓRDOBA
-) Córdoba (Colegio Jesús Nazareno)
3 leucemias infantis e 2 cancros do cólon
ABC (Ed. Sevilla)    21.11.2001       

21) Montilla
11 casos de hipertiroidismo
El Periódico de Córdoba    30.05.2003       

39) Fernán Nuñez e Nueva Carteya
3 cancros da mama em Fernán Núñez e proliferação de casos de cancro em Nueva Carteya
El Periódico de Córdoba    28.04.2004       

GIRONA
-) Roses
1 tumor cerebral
Diari de Girona    08.06.2001

-) Figueres
3 tumores cerebrais em crianças da mesma escola
El Punt    10.03.2002       

GUIPUZCOA
58) San Sebastian   
Os vizinhos relacionam uma antena com o aparecimento de vários casos de cancro
Diario Vasco    14/09/05   

59) Arrasate
Incidência de casos de dermatite, insónia e dores de cabeça entre os vizinhos
El Correo Digital    11/10/05       

HUELVA
68) Huelva (Barrio Villamundaka)
Número indeterminado de casos de insónia, problemas de coração e cancro
Huelva Información Digital    18/05/06       

ILHAS CANÁRIAS
50) La Isleta
Mais de 15 falecidos com cancro e outros mais de 40 afectados com tumores actualmente que vivem nos arredores das antenas
www.ecoboletin.com 01/04/05   

57) Lanzarote
Aparecimento simultâneo de dois enfermos com cancro, além das incessantes dores de cabeça, mudanças de humor repentinos e sensação de cansaço de que sofrem os seus habitantes, e que atribuem directamente a estas antenas
La Voz de Lanzarote    12 e 13/9/05         

63) Santa Brígida (Gran Canaria)
Existe um multidesportivo que conta com um total de 6 antenas de telemóveis. Está numa zona em que num espaço de 300 metros existe um total de 25 enfermos de cancro
Siglo XXI    22/05/05       

65) Telde (Gran Canaria)
Numerosos casos de cancro e enfermidades cardiovasculares, dores de cabeça e insónia em crianças.
Canarias 7    26/03/06         

67) Gran Tarajal (Fuerteventura)
Graves problemas de saúde em muitos vizinhos, falecimento de várias pessoas e aumento do número de doentes de cancro
Canarias 7    01/04/06       

79) Guía de Isora (Santa Cruz de Tenerife)
Numerosos casos de cancro e mortes perto de vários mastros de telemóveis
Europa Press    28/01/07       

80) San José (Las Palmas de Gran Canaria)
Num raio de 100 metros, mais de 50 pessoas afectadas por diversas patologias, das quais 15 já faleceram na área imediatamente à volta de duas estações base de telemóveis
Canarias 7    08/02/07       

JAÉN
15) Torreperegil   
grande número de doentes e mortes
Interviu    10.03.2003           

LA CORUÑA
-) Barrio de las Flores
20 mortes num ano
El Ideal Gallego    05.01.2002       
 
45) Fisterra
10 casos de cancro, a maioria em jovens. Morte de um casamento. Dores contínuas na vizinhança
La Opinión de A Coruña digital    18.09.2004   

77) Ferrol (Barrio de Cánido)
Quatro pessoas morreram de cancro num edifício durante o ano passado. Estes aparelhos causam-lhes alterações do sono e outros transtornos de saúde.
El Correo Gallego    05/01/07        La Coruña   

87) La Coruña (Barrio Las Flores)
Várias mortes por cancro em pessoas que viviam junto à antena
El Ideal Gallego    11/04/07         

LÉON
18) Zona de Mariano Andrés
alta incidência de cancro
El Norte de Castilla (León)    04.05.2003       

LLEIDA
37) Lleida (Universitat)
numerosos casos de fadiga crónica, insónia e cancros
La Mañana Digital    06.03.2004   

44) Rambla D’Aragó
Lleida    o dobro dos casos de cancro em relação aos arredores. Agrupamentos de casos de ansiedade, insónia, dores e outras patologias
La Mañana Digital    18.06.2004       

MADRID
-) Villaviciosa de Odón
4 casos de cancro em bombeiros
ABC    06.11.2002           

17) Barrio de Las Musas
14 casos de cancro
20 Minutos    21.04.2003           

42) Leganés
1 paralisia cerebral, 3 abortos, 1 tumor renal, problemas neurológicos e enchaquecas, dermatite, partos prematuros, insónia e desordens da menstruação
El Mundo    11.05.2004       

48) Móstoles
Num raio de 50 metros da antena: 25 casos de cancro, com predominância de cólon e estômago, 11 já morreram.
Segunda Mano. Móstoles    25/01/05         

54) Majadahonda
43 mortes, 26 delas por cancro e 17 por infartos ou problemas cardiovasculares nas imediações de um transformador e de uma antena de telemóveis  desde 1984 (quatro deles com menos de 40 anos).  Actualmente mais 7 vizinhos com cancro e outros 7 com patologias cardiovasculares
ABC. Madrid    25/08/05       

72) Meco
Detecção de vários casos de cancro nesta zona
Madrid Digital    08/09/06   

85) Getafe
Vários casos de cancro
Madriddiario    27/03/07   

MÁLAGA
16) Ronda
14 mortes com cancro
La Opinión de Málaga    28.03.2003           

70) Mijas (Urbanización Riviera del Sol)
Numerosas enfermidades entre os residentes
Diario de Málaga    18/06/06       

89) Málaga
Pelo menos 30 casos de cancro num edifício com três antenas
La Opinión de Málaga    06/06/07   

MURCIA
-) Totana
6 mortes por cancro e mais 11 afectados
(La Opinión de Murcia, 10.05.2000)   

20) Cartagena
2 mortes por cancro
La Verdad    24.05.2003   

26) Cieza
3 casos de cancro na mesma escola
La Verdad    05.09.2003       

31) San Ginés
20 casos de cancro, várias leucemias em crianças
La Opinión de Murcia    10.12.2003       

46) Molina de Segura
30 casos de cancro na vizinhança em 5 anos
La Verdad de Murcia    23.10.2004       

71) Murcia (Barrio de Santiago el Mayor)
Elevado número de afecções cancerígenas num raio de 300 metros à volta das antenas
El Faro de Murcia    27/06/06       

76) La Unión
Grande número de casos de cancro, a maioria residem na zona centro do casco urbano, na zona de  influência de vários edifícios com antenas de telemóveis. Num colégio da localidade situado numa zona em que há grandes antenas de telemóveis, registaram-se cinco casos de cancro entre os alunos e alguns professores
La Opinión de Murcia    17/11/06         

NAVARRA
75) Barrio de Chantrea (Pamplona)
Aparecimento de dezenas de casos de cancro em vizinhos desta zona.
Diario de Navarra    17/11/06         

PALENCIA
29) Palencia (Cuartel Guardia Civil)
2 leucemias e uma morte estranha
El Norte de Castilla (Palencia)    30.11.2003           

PONTEVEDRA
83) Salceda (Vigo)
Alta incidência de cancro perto de umas antenas de telemóveis
La Voz de Galicia    06/03/07   

90) Moraña   
40 casos de cancro, lúpus, abortos e animais doentes perto de uma antena de telemóveis e um transformador
El Correo Gallego    08/06/07   

SALAMANCA
27) Salamanca
3 cancros da laringe
Tribuna de Salamanca    07.09.2003       

34) Santa Marta de Tormes
37 casos de cancro e uma morte em quatro ruas do mesmo quarteirão em pouco tempo
El Adelanto de Salamanca    27.01.2004   

SEVILLA
-) Barrio de S José de Palmete
9 casos de cancro
El Mundo (Ed.Andalucia)    30.08.2001

52) Dos Hermanas
Em 15 vivendas da zona que rodeia uma antena há distintos casos de cancro
Yahoo! Noticias. Sevilla al día    21/05/05   

56) Villanueva del Río
23 casos de cancro. Numerosos cancros de mama e dores de cabeça em crianças nas imediações de uma antena.
ABC. Sevilla    05/09/05       

TARRAGONA
60) Tarragona (C/ Jaume I)
Incremento constante de enfermidades cancerígenas na zona
Finanzas.com (Agencia EFE)    19/12/05       

VALENCIA
-) Quart de Poblet
5 casos de cancro
(Las Provincias, 12.01.2001)

-) Ondara
10 casos de cancro
(Diario Información, 16.03.2001)   

30) Alzira
34 casos de cancro
Las Provincias    05.12.2003           

55) Sagunto
Bastantes mortes por cancro nas imediações de várias antenas de telemóveis
TERRA Noticias    28/08/05       

VALLADOLID
-) Valladolid
5 leucemias e linfomas
El Norte de Castilla    2001-2003

ZARAGOZA
40) Barrio de Miralbueno
15 casos de cancro
20 Minutos    04.05.2004   

41) San Juan de la Peña
15 mortes por cancro em 2003 e muitas mais pessoas sofrem da doença (cancro) neste momento
20 Minutos    10.05.2004           

81) Zaragoza (Avenida de Cataluña)
Detectados vários casos de cancro (algumas pessoas morreram devido a esta enfermidade) e também algumas pessoas com problemas de insónia e zumbidos na cabeça
El Periódico de Aragón    24/02/07    

  

REINO UNIDO - INGLATERRA


1) cidade perto de Exeter (Devon county)
2) North-East London
3) cidade em Lincolnshire
4) Winton Court Mast, near Gainsborough
5) Corringham Road Tetra, near Gainsborough
6) Foxby Lane
7) Barnoldswick Lancashire, near Skipton
8) Leeds 1, Cookridge
9) Leeds 2
10) Village near Leeds
11) Tolworth Surrey
12) Stoke on Trent
13) Blandford Camp Dorset
14) Norwich
15) Exeter Pennsylvania
16) Town in South West
17) Huddersfield
18) Wishaw, near Sutton Coldfield, West Midlands, Warwickshire
19) Burnley, Lancashire
20) Staffordshire
21) Huddersfield
22) Randwick
23) Dursley
24) Southport
25) Leeds
26) Stockport
27) Luton
35) Berkeley House, Staple Hill, Bristol
36) Norte do Yorkshire (torre de electricidade)
37) Norte do Yorkshire (torre de electricidade)
38) Exeter, Devon (torre de electricidade)
39) Devon
40) Subúrbios de Manchester
41) local desconhecido
42) Coleshill, Warwickshire

IRLANDA DO NORTE
28) Cranlome Hill, Ballygawley county, Tyrone
29) Saintfield
30) Lurgan

PAÍS DE GALES
31) Milford Haven, S Wales
32) Stormy Down Village, Mid Glamorgan, S Wales
33) aldeia perto de Port Talbot, Mid Glamorgan
43) Abergavenny, País de Gales

ESCÓCIA
34) Fife



www.scram.uk.com
Este documento é uma tentativa de começar a documentar a concentração de casos de cancro e outras doenças no espaço à volta as antenas das estações de base dos telefones móveis. As pessoas que vivem à volta das antenas têm apresentado todo o tipo de doenças. Ninguém tem pesquisado sobre as doenças ou andado a bater de porta em porta (excepto um grupo que vive nas West Midlands que fez a sua própria pesquisa). É muito possível que se houvesse pesquisas sobre o assunto, muitos mais casos de cancros e doenças poderiam surgir.

Não é fácil detectar a concentração de casos de cancro pelas seguintes razões:
1    Normalmente, as pessoas não querem falar sobre cancro.
2    Se começam a aparecer muitos casos de cancro, os vizinhos começam a temer pela sua saúde e a da sua família. Muitas vezes tentam parar a divulgação do assunto para poderem vender a casa e sair da zona.
3    A divulgação da concentração de casos de cancro pode fazer baixar os preços das casas. Às vezes é impossível vender as casas seja por que preço for.

1) UMA CIDADE PERTO DE EXETER

Detectaram-se 4 cancros, dos quais 3 são leucemias e 1 é um cancro do estômago, todos em linha e dentro de uma distância de 300 metros de uma antena de estação de base de telefones móveis Orange, instalada em 1996. O feixe de radiação de maior intensidade atravessa essas 4 casas antes de atingir a cidade.

1.    SEXO FEMININO – A antena Orange foi instalada em 1996 quando ainda estava no ventre da mãe. Em 1999, com 3 anos, foi-lhe diagnosticada uma Leucemia. (91 metros de distância da antena. O feixe de radiação de maior intensidade atravessa o seu quarto a direito)
2.    SEXO MASCULINO – Diagnosticado com Leucemia em 1998; morreu em 1999 com 51 anos. (130 metros da antena)
3.    PESSOA REFORMADA – Cancro do Estômago. Não há informação adicional. (200 metros da antena)
4.    SEXO MASCULINO - Diagnosticado com Leucemia em Fevereiro de 2002, tinha 56 anos. (300 metros da antena)

(leitura com COM: 6.5 v/m no quarto, cozinha e outros pontos na casa de )

2) NORDESTE DE LONDRES

5 Cancros:- 3 Cancros da Mama, 1 Tiróide e 1 Cancro nos Intestinos. As antenas são da Orange e da T-Mobile. (o guarda diz que o telhado está a ceder!) Depois da divulgação dos casos, alguns desapareceram misteriosamente. 5 adultos (todos vivendo num raio de 200 metros de um edifício com 16 antenas) desenvolveram cancro nos últimos 6 anos.
Na casa ao lado da antena ninguém tem cancro (debaixo das antenas a radiação é menos intensa). No entanto, o inquilino vai sair de lá porque tem medo de contrair cancro. As quatro casas seguintes, todas elas com moradores que contraíram cancro, estão todas em linha a seguir a esta. A quinta encontra-se afastada.  (2) diz que as únicas pessoas que não contraíram cancro nesta fiada de casas são pessoas que não viveram lá durante muito tempo ou arrendatários.
Esta rua fica na zona nordeste de Londres, no distrito eleitoral de Iain Duncan Smith. Iain Duncan Smith visitou todas as pessoas portadoras de cancro nessa rua. Visitou (1) antes de ela morrer.
Há outras antenas a emitir nas imediações com cruzamento de emissões.
1.    SEXO FEMININO - Morreu de cancro da mama e metástases em Março/Abril 2002. Apresentava outros sintomas como sono irregular e pele extremamente seca. O marido diz que “ela costumava pôr montes de creme na pele e tinha choques eléctricos tão fortes que utilizava um pano para abrir a porta do carro”. Teria os seus 50 anos. (Vivia a cerca de 60 metros das antenas)
2.    SEXO FEMININO - Cancro da mama. Formigueiro. Vive aqui há 30 anos; durante esse tempo foi sempre perfeitamente saudável. 80 e tal anos. (Vive a cerca de 90 metros das antenas)
3.    SEXO FEMININO - Cancro da mama. Insónias, sempre cansada, pele irritada, enxaquecas constantes. Pele seca. Formigueiro. Professora, 51 anos. O marido tem há muito tempo a pele irritada. 1 gato, 1 cão e 2 ratos morreram de cancro. Algumas plantas não crescem. (Vive a cerca de 120 metros das antenas)
4.    SEXO FEMININO – Diagnosticaram-lhe cancro da Tiróide em 1998 aos 48 anos. Educadora de infância. Em remissão. (Vive a cerca de 150 metros das antenas)
5.    SEXO MASCULINO – Diagnosticaram-lhe cancro dos Intestinos em 1997 aos 68 anos. (Vive a cerca de 200 metros das antenas)

Um senhor alemão (52 anos) vive ao lado do edifício onde estão instaladas as antenas. Isto pode estar a servir-lhe de escudo protector. Ele está a arrendar a casa, mas está tão preocupado que tem planos para sair dali.

3) UMA CIDADE EM LINCOLNSHIRE

Em Maio de 2001 o “The Daily Mail” noticiou dez casos de Cancro. (Abaixo numerados de 1 a 10). Quatro dessas pessoas morreram de Cancro, e houve outros seis casos num raio de 180 metros à volta de uma estação de base Orange instalada em 1995 num depósito de água de 14 metros de altura com seis antenas e dois discos microondas. 
    No sítio onde o feixe de radiação atinge as casas com maior intensidade (utilizando medidores COM e AcoustiCOM), registaram-se quatro cancros em três casas ((1)(2)(3) e (4)). As casas ficam todas ao lado umas das outras, porta com porta. A casa (6) fica logo atrás da casa (1) na direcção da casa (5), que fica em frente da casa (1), e algumas casas atrás da casa (6) fica a casa (8).
     Um autarca local tem conhecimento de mais quatro pessoas com Cancro e de uma pessoa na casa ao lado da antena, quatro metros de distância, que está a ser examinada por suspeita de Leucemia. Foi adicionada mais uma antena. Neste momento há muitas, muitas mais.
    É de notar que há duas outras antenas, ambas na mesma direcção e ambas a norte da primeira. Uma antena TETRA temporária e uma antena numa área industrial nas imediações.

1.    SEXO FEMININO – Diagnosticaram-lhe Cancro da Mama e metástases em Maio de 2000. Morreu em Dezembro de 2002, aos 67 anos. Viveu nesta casa durante 41 anos e nunca tinha adoecido. Quando o veterinário tentou operar o seu cão, ele viu que o animal tinha um cancro num estado tão avançado que nem chegou a operá-lo. (Vivia do lado oposto da antena, a cerca de 120 metros da mesma)
2.    SEXO FEMININO - Morreu aos 61 anos com Cancro nos Ovários. (Vivia do lado oposto e a cerca de 120 metros da antena, na casa ao lado de (1))
3&4.    CASAL – A ele diagnosticaram-lhe tumores no antebraço e nos rins em Outubro de 1998. Morreu em Novembro de 1998 com 70 e tal anos. Em 1997 diagnosticaram à sua esposa Cancro da Pele. (Viviam do lado oposto e a cerca de 120 metros da antena, na casa ao lado de (2))
5.    SEXO FEMININO – Diagnosticaram-lhe Cancro (Carcinomatose) em 1998 e morreu desse cancro em 1999, aos 87 anos. (Vivia do lado oposto da rua onde moravam (1,2,3 e 4), a cerca de 80 metros da antena).
6.    SEXO MASCULINO - Diagnosticaram-lhe Leucemia em 1996, aos 71 anos. (Vive por atrás de (1) a cerca de 150 metros da antena)
7.    SEXO MASCULINO – Está a recuperar do linfoma de Hodgkin que lhe foi diagnosticado quando ele tinha 7 anos. (Vive a cerca de 200 metros da antena)
8.    SEXO MASCULINO – Diagnosticaram-lhe Cancro do Estômago em Abril de 1997. Morreu em Setembro de 1998 aos 73 anos. (Vivia a cerca de 200 metros da antena)
9.    SEXO FEMININO - Diagnosticaram-lhe Leucemia Mielóide Aguda em Março de 1997, aos 26 anos. Sofreu um transplante de medula óssea em Setembro de 1997. Está em fase de remissão. (Vive a cerca de 120 metros da antena, noutra direcção)
10.    SEXO FEMININO - Diagnosticaram-lhe Cancro da Mama em 1997, aos 74 anos; posteriormente foi submetida a uma mastectomia. (Vive a cerca de 150 metros da antena, também na outra direcção)
11.    SEXO FEMININO – Está a ser constantemente examinada devido a uma possível Leucemia. Está a tentar vender a sua casa desde 1999. (Vive a cerca de 10 metros da antena)
12.    SEXO MASCULINO - Um instrutor de condução que morreu aos 55 anos de Leucemia. O seu bangaló foi exposto a níveis de radiação aterrorizadores. (Vivia entre duas antenas, a cerca de 200 metros de distância)
13.    SEXO MASCULINO –Morreu de apoplexia em 2003 aos 21 anos. (Vivia a 800 metros de 2 antenas, uma das quais era uma antena Tetra.)
14.    SEXO MASCULINO – Diagnosticaram-lhe cancro na próstata em 1995 aos 41 anos. Agora tem 50 anos. (Vive a 100 metros da antena)
15.    SEXO FEMININO – O obituário dizia que morreu de doença prolongada aos 52 anos. Pensa-se que foi um Cancro. (Vivia a 100 metros da antena, e a 50 metros da casa de (1), que por sua vez ficava do lado oposto da antena)
16.    MASC. – Morreu de Cancro com 40 e tal anos em 1995 ou 1996. Tinha lá vivido com a sua esposa durante alguns anos. O AcoustiCOM indicou que a casa estava exposta a radiação. (Viviam a 100 metros da antena e as suas casas também ficavam perto das de (6 e 7))
17.    MASC. – Tem cancro (pensa-se que é Cancro do Intestino). (Vive no lado oposto de , a norte de , perto de  na direcção diagonal)
18.    MASC. – Morreu de tumor no cérebro quando tinha cerca de 40 e poucos anos. A esposa está demasiado perturbada para falar sobre a possibilidade de ela e as crianças estarem em risco. (Emissões registadas na parte exterior da casa)
19.    FEM. – 30 e muitos. Toma conta do bebé da sua filha, que nasceu com múltiplos problemas de saúde. Foi operado várias vezes. Pensa-se que a filha morou na casa da mãe durante a gravidez. Emissões registadas no quarto e na sala.
20.    FEM. – 30 e muitos.  Está a ser examinada devido à possibilidade de ter Cancro da Mama. O seu cão teve tumores. (Vive na mesma rua que )
21.    2 FEM. – Mudaram-se para a mesma rua que  e  em Setembro de 2003. Duas com 18 e 27 anos tornaram-se letárgicas e reservadas. A mais velha (na altura com 30 anos) encontra-se em remissão do Cancro do Cérebro. (As leituras obtidas foram de 2.5V/m no jardim e num dos quartos. Depois da actualização para 3G e mais antenas encontradas com o AcoustiCOM, toda a casa ficou imersa em radiação). (Agora estas raparigas estão demasiado assustadas para viver lá, estão a dormir num colchão por cima duma loja)
22.    FEM. – Com 41 anos, Irritação da pele na cara e nos braços, sobretudo à volta dos olhos. Tem tanta comichão na pele que fez sangue de tanto coçar. Teve muitas dores no abdómen. Quando mudou para esta casa estava grávida de 8 meses. O bebé gritava e levantava a cabeça no berço 15/16 vezes por noite. Também chorava de dia. O outro filho de 3 anos tornou-se muito agressivo. Esta senhora mudou de casa, estava tão desesperada para sair dali que não notificou a sua saída. Passado um ano o bebé deixou de chorar e dorme toda a noite, e a outra criança já não está agressiva. (Leituras COM: 2.5V/m em frente à casa) (Vivia por trás de  a 100-150 metros da antena)
23.    FEM. – Na altura tinha 19 anos e ocupava um quarto exposto a radiação. Tornou-se letárgica/reservada, constantemente recolhida no seu quarto. Desde que mudou de casa está uma pessoa diferente, com mais personalidade e cheia de vida.
24.    FEM. – Tem um bebé que grita muito à noite. O médico sugeriu que ela se mude para um sítio mais afastado da antena. No início de 2004 ainda não se tinha mudado. (Vive em frente de (9) )
25.    FEM. – Cancro da Mama / do Cérebro.  (Vive na última casa, ao lado da escola, a 50 metros da antena)
26.    BEBÉ – Grita todas as noites quando está no andar de cima. Sossega quando o levam para baixo. (A radiação por microondas de nível baixo originária das antenas é normalmente mais baixa no rés-do-chão e mais intensa nos pisos superiores). (Vive na mesma rua que (6,7 e 8)
27.    MASC. – Tem 40 e muitos mas parece muito mais velho. Ele tinha de tomar 20 analgésicos por dia. Os colegas de trabalho tratam-no por “baixa médica”. Desde que mudou de casa dorme melhor e já voltou a trabalhar. A saúde dos seus filhos também melhorou. Também já consegue beber álcool sem adoecer (sintoma de cândida). Esteve exposto às radiações da antena durante anos. No jardim ele tinha porquinhos-da-índia e coelhos que desenvolveram tumores. (Os animais estavam expostos a radiações de 2.5V/M e mediram-se registos de 2.5V/M no compartimento mais baixo da casa. O seu médico ficou contente com a mudança de casa para longe da antena) (Vivia na mesma rua que  & )
28.    IDOSO SEXO MASCULINO – Grande perda de peso, parece estar muito doente. Morreram-lhe vários cães que ele passeava pela zona com cancro/tumores. Esta zona está exposta a muita radiação, assim como a casa dele. (Vive perto de )
29.    MASC. – Vai nos 50 anos. Tem enxaquecas, está letárgico e sofre de depressão grave, e todo o tipo de queixas. Está sempre no médico ou no hospital. Em janeiro de 2004 tentou suicidar-se com herbicida. O médico não consegue explicar a sua situação. (Foram registadas emissões elevadas no exterior da sua casa) (Vive 3 casas depois de  e próximo de  e )
30.    FEM. – 40 e poucos anos. Foi submetida a uma mastectomia. Níveis elevados registados com AcoustiCOM. (Vive na casa imediatamente atrás da de . A antena fica a 100 metros da sua casa)
31.    MASC. – Tem 44 anos e tem problemas inexplicáveis como dores na parte superior do tronco. Registaram-se leituras Accousticom elevadas. A sua cama está completamente coberta de emissões e a esposa tem um aspecto extremamente doente. (Vive em frente de )
32.    FEM. – 30 e poucos anos, à espera de transplante (Vive perto de )
33.    MASC. – Cerca de 60 anos. Foi-lhe retirada a maior parte do estômago e continua a receber tratamento. Tem um aspecto muito doente. (Emissões registadas no exterior da sua casa). (Vive mesmo em frente de  e 5 casas depois de )
34.    FAMÍLIA JOVEM – A mãe trabalha fora 5 dias por semana mas tem terríveis dores de cabeça quando está em casa. (As mesmas emissões que as registadas em ). (Vive 2 casa depois de )
35.    FEM. – Uma professora com cerca de 40 anos que vive a sul da Linha Ferroviária, está em tal estado letárgico que não vai trabalhar há 10 semanas (até Janeiro 2004). O seu médico não consegue explicar este problema. Sente choques eléctricos/zumbidos no cérebro sempre que acorda de manhã. Registaram-se emissões em cima da sua cabeceira (antes não havia). Atribui-se este facto à actualização da antena da estação de base. (O medidor COM regista 2V/m no rés-do-chão e 2.5 V/m no estúdio onde ela trabalha 2 horas por dia). Tem uma amiga que dá aulas na mesma escola, exposta a radiações, que tem muitas dores de cabeça.
36.    FEM. – Professora, morreu de cancro com quase 50 anos, dava aulas na escola paroquial que está exposta às radiações da antena. Não existem informações adicionais.
37.    FEM. – Quase nos 40 anos. Tumor cerebral. Morreu num incêndio por se ter esquecido da fritadeira ao lume. (Vivia numa casa exposta às emissões da antena).
38.    MASC. – Cerca de 65 anos. Tumor cerebral. Antes do diagnóstico teve um ataque apopléctico e esteve inconsciente durante 6 semanas. Utilizava telemóvel. (Vive a sul da Linha Ferroviária)
39.    MASC. – Taxista, cerca de 50 anos, morreu de Tumor Cerebral Maligno por volta de 2002. (Vivia próximo de  a sul da linha ferroviária)
40.    FEM. – Vinte anos, tem um bebé com muitos problemas.
41.    MASC. – Ataque do Coração.  Trabalhador da construção civil,  boa forma física, 60 anos. Casa ao lado da 40. A entrada da casa com muita radiação. Perto de 2 antenas TETRA e outra antena.
42.    MASC. – Ataque do Coração, 57 anos. Algumas casas depois da senhora 40.
43.    MASC. – Foi operado em 1999 e puseram-lhe placas na perna. Quando esteve em casa da mãe nesta localidade as pernas incharam-lhe e ficaram com o dobro do tamanho. O médico disse que não conseguia explicar o sucedido. Uma vez no banho também lhe inchou a garganta. Foi para o hospital às 5 da manhã em agonia. Voltou à normalidade ao fim de 3 dias.
44.    MASC. – Inchaço no peito. (Glândulas inchadas) Distúrbios do sono. Dores de cabeça.
45.    MASC. – Sonambulismo e nódoas negras na perna, sem explicação. Dores de dente.
46.    MASC. – Cancro na espinal medula. 
47.    MASC. – Cancro no estômago, hospitalizado em Junho de 2004.  Vive num pub que se encontra coberto de radiação.
48.    FEM. – Dores de cabeça, toma 8 analgésicos por dia. Bem quando ausente e de férias. Quando trabalha visita diariamente 8 casas expostas a radiação. A sua casa está exposta a alguma radiação, recentemente mudou a cama afastando-a da área exposta.
49.    MASC. – Cancro da próstata. Radiação no exterior da casa.
50.    FEM. – Ataque do coração.  Casa exposta a radiação.

4) ANTENA EM WINTON COURT perto de Gainsborough. 
Esta antena está a 120 metros de distância da escola.
A 200 metros de distância a antena está a emitir radiações sobre o acampamento de ciganos. Um homem que tem canários relatou que 5 dos seus canários morreram uns a seguir aos outros. Só resta um; os pássaros não eram velhos.
Sexo feminino – Em remissão de cancro da mama. O quarto tem um nível de radiação baixo.
Vizinho que tem um tumor no olho está a fazer quimioterapia.
Um vizinho do outro lado da rua está a tomar 52 comprimidos por dia para combater um cancro nas pernas.
Sexo masculino – 59 anos, morte súbita.  Vivia a 400 metros das Antenas.

5) TETRA DA RUA CORRINGHAM (Thorndike Way com duas faixas) mastro principal na rua Middle Corringham e a seguir The Avenue, todos num enfiamento. No canto superior do mapa de Gainsborough 1 bor c

1.    MASC. -  Feita leitura do obituário. Morreu depois de doença prolongada. Imerso em emissões do Mastro Tetra. Pode também have emissões doutro mastro a irradiar aquela área.
2.    MASC. – 34 anos. Trabalha a 34 metros do mastro. Também vive na área irradiada por outro mastro. Tremuras sérias e foi testado quanto a leucemia.
3.    MASC. – 40 anos, Em muito boa forma física, Tumor cerebral
4.    MASC. – vive a 180 m do mastro TETRA e a cerca de 180m de outro mastro. Contraiu um tumor 2 anos depois de ter vindo viver para esta área.
5.    FEM. – 60 e poucos anos teve cancro da mama. Tem um mastro TETRA 200 m à sua frente.
6.    MASC. – Tumor cerebral 40 anos. Tinha um serviço de aluguer num pré-fabricado a 10 metros do mastro. Desenvolveu um tumor cancerígeno e morreu duas semanas depois do diagnóstico.
7.    MASC. – Operado a um tumor benigno. Ainda tem dores de cabeça depois de ter regressado ao trabalho. Alguma radiação na sua casa. Trabalha numa fábrica a 50 m do mastro.
8.    FEM. – Cancro da mama médio quinquagenário. Trabalha como empregada de limpeza junto ao mastro.

O local de recolha do serviço de mini-autocarros de Lincolnshire está agora localizado naquele lugar, onde os condutores de autocarro esperam na cantina e os funcionários de manutenção e limpeza trabalham nos autocarros. JW registou 2,5 V/m nesse lugar e depois de permanecer aí durante 4 minutos ficou com dores de cabeça e nausea que duraram mais de 2 horas até que tomou uma pastilha para adormecer.

9.    ALUNO 9-10 anos. Na Escola de Whites Wood Lane tem estado a receber tratamento para o cancro, o seu cabelo recentemente voltou a crescer. A escola é irradiada pelo mastro temporário Tetra. O AcoustiCOM [medidor de microondas] dá um grito agudo na área da escola e no bairro residencial.
10.    MASC. – morreu em Junho de 2004 Cancro nas pernas. Vivia a 500 m do mastro.
11.    COELHO COM UM ANO. O coelho do dono desenvolveu um tumor cancerígeno no olho depois de 11 meses na coelheira do jardim. JW regista um nível baixo de microondas procedente do mastro Tetra da rua Corringham.

6) CONCENTRAÇÃO DE CANCROS DE FOXBY LANE
1.4 2004 O mastro temporário TETRA de rua Corringham vai agora ficar localizado aqui permanentemente. Aqui existem 7 cancros.

1.    MASC. – A meio dos 50 anos morte súbita vivia a 2  metros do mastro.
2.    FEM. -  tirou um seio, faz campanha.
3.    MASC. - JW pensa que morreu de leucemia 70 e muitos, a menos de 100 m do mastro em Pines
4.    FEM. – Nos seus 60. Cancro da garganta que agora passou para o cérebro. Vive perto do mastro; informação via neto.

Fonte: primeiros 10 no Daily Mail 7 Maio 2001 Sarah Harris Others localizada por Jim Whelen.

7) BARNOLDSWICK  LANCASHIRE  (Perto de Skipton) 

Mastro eregido em 1997. Desde que foi levantado apareceram doenças em três casas em fila a menos de 250 metros do mastro com 12 m

1.    FEM. – cancro da mama. À vota de 200 m do mastro. Técnica da escola de arte, diagnosticada menos de 12 meses depois do mastro ter sido colocado. 50 anos.
2.    MASC. - Com a idade de 13 meses. Em 1999 desenvolveu uma doença misteriosa que destruiu o seu pâncreas e que o deixou com diabetes. Mudou-se para lá em 1998. Em Novembro 2000 a criança desenvolveu um grande absesso no lado do seu pescoço. Drenado três vezes. Pouco depois o pâncreas deixou de funcionar. Isto confundiu os médicos, mas parece tratar-se de uma doença autoimune. A sua casa está a aproximadamente 220 metros do mastro.
3.    FEM. – Cancro da mama, diagnosticado em 1999. Vive a menos de 150 metros do mastro. 73 anos.
4.    JOVEM - Leucemia. Cerca de 150 metros do mastro na outra direcção. 16 anos. 

Fonte: Daily Mail 22 Maio 2000 Adam Powell  a.powell@dailymail.co.uk

8) LEEDS 1. COOKRIDGE 

O bairro tem dois mastros enormes próximos um do outro. Foram eregidos nos anos 70 têm aumentado desde então. Têm agora as antenas de várias companhias de telemóvel. Desde 1989 que as mulheres em Cookridge têm contraído mais cancro da mama e outros tumores do que em outras áreas de Leeds.

Casos de tumores: Média de Leeds:         160
                            Cookridge 1991-3:       215 (aumento de aprox. 34% )
          1994-5:       225 (aumento de aprox. 35% )

Cancro da mama: Média de Leeds:           33
                             Cookridge 1991-3:         55  (aumento de aprox. 75% )
                                               1994-6:         43  (aumento de aprox. 32% )

Os residentes reportam que estes números atraíram bastante atenção dos mídia, até que em 1999 uma investigação feita pelo Dr. MD Hawkings e pelo Dr. G Wardman estandardizaram este números por idade de modo a chegar à conclusão de que as taxas de incidência em Cookridge eram apenas levemente superiores à taxa global de Leeds. Isto foi encarado como um encobrimento.

9) LEEDS  2

MASC. & FEM. – Mastro de 16 metros da Vodaphone a 20 metros da casa.
Este casal lutou 4 anos e meio para que o mastro fosse removido. A princípio apenas preocupados com o preço de venda da casa. O mediador imobiliário disse que eles iriam perder um terço do valor da casa e que teriam sorte se encontrassem um comprador. Toda a família com problemas em dormir de noite.
A senhora (professora, 57 anos em Fev. 2000) não está a curar-se tão bem e a memória a curto prazo fraca. O senhor foi diagnosticado com tumor cerebral em Julho de 1999. Morreu com 65 anos em 2000). A viúva jurou que iria continuar a fazer campanha.

Fonte: The Express 28 Fev 2000, para acompanhar desenvolvimento.
BBCNewsOnline
Terça-Feira,10 Dezembro,2002,12:19GMT

10) LEEDS 3
RESIDENTES PROTESTAM CONTRA MASTRO DE TELEFONES

Residentes de uma povoação perto de Leeds estão lutando para impedir a construção de um mastro de telemóveis, depois de quatro residentes locais terem desnvolvido tumores cerebrais. Os cientistas não descobriram uma ligação firme entre mastros de telemóveis e cancro, mas os residentes de Bardsey estão determinados em impedir o que consideram um risco acrescido. Os protestantes impediram temporariamente a erecção do novo mastro a semana passada (Abril 2004) ao bloquear a entrada para um caminho de acesso de trabalhadores. A T-mobile, que não tem mais nenhum mastro na área, vai ter um encontro com a Assembleia Municipal de Leeds na Quinta-Feira no sentido de fazer valer as suas reinvindicações para que o mastro seja construído.

Preocupações com a saúde
A companhia diz que os protestos se devem a uma confusão na concessão efectuada pelo planeamento. Mas o organizador disse à BBC que foram os possíveis riscos para a saúde que preocuparam os residentes locais. “Em relação aos possíveis riscos para a saúde devido aos telefones móveis, podemos estar na mesma situação dos anos 50 no que diz respeito ao uso do tabaco. Durante 200 anos pensous-se que era seguro”, disse. Uma senhora residente, com um tumor cerebral de 7 cm, não quer mais um mastro. Disse à BBC: “Eles não levaram a cabo pesquisas suficientes de modo a provar a se existe ou não uma ligação.”

Confiança na segurança
“No momento, na povoação, conheço quatro pessoas que contraíram tumores cerebrais incluindo eu própria. Parece estar tudo muito localizado, o que me preocupa.” A representante da T-mobile, Jill Kerr, disse à BBC News Online que compreendiam as preocupações dos habitantes, mas disse que os mastros de telemóveis não eram prejudiciais. “Trabalhamos de acordo com directrizes rigorosas reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde, estabelecidas para proteger o público”, disse. “Pelo que temos confiança de que são seguros”.

11)  TOLWORTH, SURREY

1.    FEM. – 49 anos. Hemorragia cerebral.  A casa fica ensanduichada entre mastros de telemóveis situados no topo do hospital local e de um bloco de escritórios. O filho diz que ela esteve de boa saúde toda a sua vida até que um ou dois dias antes de morrer se queixou de dores de cabeça.
2.    FEM. – 54 anos. Hemorragia cerebral. Funcionária de saúde. Também de boa saúde a maior parte da sua vida. Ambas tiveram hemorragias semelhantes, separadas apenas por cinco semanas (a fêmea 2 morreu primeiro). O marido, que é electricista, apanha muitos choques eléctricos.
 
A senhora número 3 afirmou que sem olhar nem averiguar conhecia outros casos de doença perto destre mastro. Muitos destes estão ao lado uns dos outros ou no enfiamento dos raios de microondas. Esta senhora fez campanha para impedir que os mastros fossem levantados. A sua casa fica mesmo debaixo do mastro, que provavelmente a protege. Não obtive valores de microondas no medidor Com.. Contudo o AcousticCOM detecta muito mais.

3.    FEM. – Uma erupção cutânea com comichão, não diagnosticável e os leucócitos em baixa. Apanha choques eléctricos com facilidade, assim como o seu marido. Ele tem tido hemorragias nasais
4.    Dois dos 3 filhos da fêmea têm alergias.
5.    MASC. - 18 anos, descobriu um inchaço nos seus testículos, o que está a ser visto (23.9.2002).
6.    O outro filho tem infecções tão grandes na boca que pode vir a perder dentes.
7.    MASC. – O vizinho ao lado, com 49 anos, tem cancro da garganta.
8.    FEM. – Esposa do macho anterior, 50 anos, tem cancro da pele. (estão com muitos problemas matrimoniais).
9.    A sua filha tem uma erupção de longa duração, os pais temem que ela tenha fevre glandular. (23.9.2002)
10.    JOVEM MASC. – tem um sistema imunitário deficiente e uma contagem baixa de leucócitos. Vive ao lado da Fêmea 3.
11.    JOVEM FEM. – Vive em frente a este vizinho, teve dois desmanchos aos 6 meses.    
12.    FEM. – 55 anos, tem cancro da mama. Vive em frente à fêmea anterior.
13.    FEM. – 67 anos, tem cancro da mama. Vive em frente à mesma fêmea anterior.
14.    FEM. – em frente tem um filho com 3 anos com Osteogenesis Imperfecta (fragilidade óssea).
15.    O ocupante da casa a seguir a esta morreu de cancro dos intestinos.
16.    Na casa seguinte, um senhor de 67 anos a fazer testes constantemente. Algo muito errado – não se sabe o quê.
17.    FEM. – Directamente em linha com o mastro, 35 anos. Cancro do útero. Teve uma histerectomia.
18.    MASC. – O seu pai teve um derrame e tenta ajustar o chuveiro pensando que é o rádio.
19.    FEM. – A sua mãe está sendo examinada, altamente confidencial, teme ser cancro do intestino.      
20.    Duas casas depois, também no enfiamento do mastro vive uma outra vítima de derrame.
21.    MASC. – homem muito jovem, tem linfoma non-Hodgkin.
22.    FEM. – vizinho ao lado de  tem tido problemas de garganta persistentes há 3 anos. O seu médico está impaciente com ela e não consegue compreender o que se passa.   
      
Utilizando o AccoustiCOM um contacto nosso encontrou um rasto de doenças num feixe de radiações que atravessa várias casas - algumas das pessoas que estão doentes não estão nesta lista. Precisamos de fazer mais trabalho.
Um residente disse “Estamos todos a viver com medo pensando quem irá a seguir”.

(Também existe um terceiro mastro na vizinhança de uma zona industrial, a Jubilee Way).

Fonte: Sunday Mirror 23 de Abril 2000, Gerard Couzens. O artigo cita Alasdair Philips: “Estas mortes têm de ser investigadas... As microondas destróiem a barreira hemo-encefálica que impede a penetração de substâncias nocivas. Um mastro de grande potência pode originar uma hemorragia.”

Vicky Harris é um autarca liberal democrata que se interessou pelo assunto. Ela sabia que havia uma concentração. Ela quer se envolver se nós/cientistas voltarmos lá para fazer medidas. O Serviço de Saúde está a pensar não renovar nenhum mastro em propriedades suas. O problema é que ainda faltam 7 anos para o contrato acabar (23.9.2002).

12) STOKE ON TRENT    (Staffordshire)

Concentração de 4 HEMORRAGIAS CEREBRAIS. Desta quatro, as três no artigo de jornal eram vizinhos uns ao lado dos outros. O outro estava mais ou menos 10 casas afastado. Todos morreram. Dos três que eram vizinhos: um morreu em 1998 e dois em Abril de 2000.
Estas quatro pessoas viviam todas em casas em frente ao feixe de radiações, todos dentro de um raio de 80-100 metros de um mastro de 25 metros com 6 antenas e 5 discos. Este mastro está funcionando desde 1993.
1.    SEXO FEM. – Hemorragia cerebral morreu Abril 2000
2.    SEXO FEM. – Hemorragia cerebral morreu Abril 2000 (dois dias depois da fêmea anterior). 
3.    SEXO FEM. – Hemorragia cerebral 
4.    Hemorragia cerebral

Outras doenças perto do mastro são:
 
5.    SEXO FEM. – tinha tido epilepsia em criança e ficou muito melhor. Desde que o mastro foi construído ela tem tido ataques epilépticos muito fortes e noites sem dormir.
6.    DOIS CÃES – desenvolveram e morreram com epilepsia.
7.    Uma pessoa com um monitor cardíaco que passou perto de um mastro e desmaiou esteve no hospital durante 3 dias.

       Além disto uma concentração de pelo menos cinco pessoas vivendo próximas umas das outras com pressão arterial alta.
 
Fonte: Mast Sanity. Artigo de jornal Mark Forster The Sentinel 13 Agosto 2002

Este mastro está constantemente a crescer. Existe autorização para adicionar serviços de 3ª geração e um TETRA e um “mini node (central collation point)” (tradução?).
 
13) BLANDFORD CAMP DORSET  

SEXO FEM. – sobreviveu a uma hemorragia cerebral. O escritório onde trabalhava havia dois anos estava a 180 m de uma potente torre de comunicações, a qual emitia sinais de alta potência contínuamente. A senhora recuperou mas a sua saúde nunca mais foi a mesma. Quando voltou para o trabalho teve acesso a correspondência altamente classificada do ministério da defesa onde se levantavam preocupações quanto ao número de hemorragias cerebrais e cancros no pessoal do exérctio e suas famílias nos quartéis “atrás da vedação de arame farpado” na Irlanda do Norte. A preocupação tinha a ver com a possibilidade destes efeitos nocivos terem sido causados pelos mastros de vigilância.
    Esta senhora comentou que dois amigos, que costumavam trabalhar com ela em Blandford, apesar de estarem apenas nos 50’s e poucos, já morreram. (Ambos trabalharam em frente ao mastro durante 10 anos) Um de cancro dos pulmões apesar de nunca ter fumado, outro de um ataque de coração.
 
Fonte: Network

14) NORWICH, Norfolk
Nos últimos 6 anos o The Norwich Eastern Evening News informa que pelo menos 8 pessoas foram diagnosticadas com cancro na Furze Road. Dá a lista de 7. Furze Road é uma rua em que costumam viver pessoas idosas. Fica várias centenas de metros distante de um mastro de telemóveis de 36 metros em St Williams Way. A Orange, BTCellnet/002 e One2One/Tphone estão todos lá.
1.    SEXO FEM. – 75 anos, mudou-se para esta rua em 1998; tem cancro do intestino delgado. (O jornal diz que contraiu o cancro alguns meses depois de se mudar – isto não é muito tempo.) O AcoustiCOM mostra os feixes dos mastros entrando no seu quarto de dormir como um espeto.
2.    SEXO FEM. – 83 anos, vizinha do lado, vive nesta rua desde 1945 e há 6 anos que luta contra o cancro. Teve um tumor na sua face, agora cancro dos intestinos e um outro tumor debaixo dos olhos.
3.    SEXO FEM. -  Cancro das glândulas linfáticas.
4.    SEXO MASC. -  Diagnosticado com cancro da garganta e do seio (paranasal) há cinco anos.
5.    Uma outra vítima de cancro não quiz dar nenhum detalhe.
6.    O sexto morreu.
7.    SEXO MASC. – Viveu na Furze Rd por mais de quarenta anos. Morreu de cancro do pulmão em 1999.
8.    O artigo menciona oito – contudo não foi possível encontrar detalhes da oitava vítima 

O Dr Ian Gibson, especialista de cancro e médico do Norte de Norwich disse “Visto que as suas doenças são diferentes é difícil relacioná-las com o mastro mas deveriam ser levados a cabo mais estudos.” Está previsto que ele discuta a possibilidade de mais investigações com os seus antigos colegas na UEA [University of East Anglia].

15) EXETER PENNSYLVANIA, Devon 
Informador do sexo masculino foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin há 9 anos atrás. Ele está convencido que o transmissor em Marypole Head que foi levantado em 1981 e que está a menos de 200 metros da sua casa é o responsável pelo seu cancro, e também afectou até 13 dos outros residentes, muitos deles numa linha com o comprimento de 50 metros num enfiamento directo a norte do mastro. (Em High Duryard, Argyll Road e Belvedere Road). Nove destes morreram. Outros residentes têm cancros tipo cancro do pulmão, cancro do estômago e leucemia.

SEXO FEM. -  Tem cancro do seio o qual se expandiu para os pulmões.

Fonte: Network e Express e Echo 24 Julho 2002  Andrew Mosely 01392 442231 Heron Road Sowton Exeter EX2 7NF
 

16) CIDADE NO SOUTH WEST

1.    SEXO FEM. – Cancro do seio diagnosticado aos 32 anos. Tem agora 34 anos. Tem vivido no enfiamento e a 300/400 metros de um mastro alto há 4 anos. Ao visitar o hospital, recentemente, encontrou-se com um vizinho que vive em frente a si e também no enfiamento com o mastro. Esta senhora tem leucemia.
2.    SEXO FEM. - Leucemia. Esta senhora tem à volta de 50 anos. Tem leucemia há dois anos. Não há informação adicional.
3.    SEXO MASC. – O jovem marido da senhora 1 desenvolveu doença de Crohn no mesmo ano.

17) HUDDERSFIELD, Yorkshire

Informação antiga enviada a alguém noutra concentração – 2 casos de cancro atribuídos ao mastro em 2000. Muitas dores de cabeça e perdas de memória.

18) WISHAW, povoação muito pequena PERTO DE SUTTON COLDFIELD NO WEST  MIDLANDS, Warwickshire

28 pessoas vivendo na sombra de um mastro que foi levantado há 8 anos atrás desenvolveram sintomas/doenças nos últimos 18 meses. 5 desenvolveram cancro do seio apesar de não haver história de cancro do seio nas suas famílias.
(Este bocado de informação ainda não foi actualizado) Destes, 15 vivem/trabalham dentro de um raio de 100 metros do mastro, um num raio de 500-800 metros. Parece que estes estão no enfiamento com o mastro. Também existem 4 mastros de rádio nas proximidades.
 
1    SEXO FEM. – Cancro do seio, diagnosticado em Dez. 2001. Em Nov. 2001 desenvolveu erupção que durou 3 semanas, mantida sob controle com uma dose forte de esteróides. A 102 metros do mastro. 38 anos.
2    FEM. – Cancro do seio, diagnosticado em Jan. 2002. Vive a 180 metros do mastro. 49 anos.
3    FEM. – Cancro do seio, novo diagnóstico, operada Julho 2002, vive a 110 metros do mastro. 50 e tais.
4.    FEM. – Cancro do seio diagnosticado em Maio de 2001, vive aprox. a 200 metros do mastro. 50 e tais.
5.    FEM. – Cancro do seio diagnosticado em Maio de 2001. Vive aproximadamente a 500 metros do mastro. 44 anos.
6.    FEM. – Inchaço benigno no seio. A 180 metros do mastro, ao lado da casa da senhora 2.

Três destas 5 pessoas sofreram de contagem de leucócitos baixa desde o início da quimioterapia. De modo a recuperar os níveis normais de leucócitos tiveram de tomar nutrophen. A senhora 1 diz que nas duas vezes em que deixou a área durante uma semana recuperou os seus valores de leucócitos sem nenhuma intervenção. A senhora 2 mudou-se recentemente (Agosto de 2002) e teve a mesma experiência. Até essa altura ela estava tendo dificuldades com o tratamento e sofrendo adiamentos de até 6 semanas, uma vez, entre as sessões de quimioterapia, de modo a recuperar os valores normais de leucócitos com a ajuda das injecções de nutrophen.

Mais recentemente, Agosto/Outubro, duas pessoas que tinham baixa de neutrófilos mudaram de quartos de dormir, deixando os quartos fortemente afectados pelos mastros segundo o acoustiCOM, para quartos que, de acordo com o AcoustiCOM, não estavam afectados. Os neutrófilos da senhora 19 dispararam de 0 para 3,0 e os da senhora 2 dispararam para 1,0 e aumentaram progressivamente.

7.    FEM. - 25 2cm inchaço benigno no seio removido. 180 metros do mastro. Vive ao lado da casa da senhora 2.
8.    FEM. - (Filha da senhora 4) Inchaço removido, cancro? Recentemente ausentou-se por um ano. Voltou este verão, e teve a operação no verão de 2002. Aprox. 200 metros do mastro. 27 anos.
9.    FEM. – Sofre de células anormais no cervix. Continua em investigação e foi chamada pelo médico para fazer 3 exames Papanicolau e 2 exames aos seios para detectar se tinha algum inchaço. 104 metros do mastro. 20 anos.
10.    FEM. – Tumores no útero, que foram removidos, e dois anos com infecção atrás de infecção, o que levou a uma histerectomia este ano. Trabalha num raio de 102 metros do mastro. 34 anos.
11.    FEM. – Células pré-cancerosas no colo uterino. Isto foi diagnosticado há pouco mais de 12 meses (Agosto de 2001). Meses depois de terem sido removidos ela continua em tratamento pois os testes mostram que as células continuam anormais. Trabalha num raio de 102 metros do mastro. 32 anos.
12.    FEM. – Mudanças nas células do seio (a biópsia mostrou mudança no cálcio nas células). Trabalha num raio de 102 metros do mastro. 51 anos.
13.    FEM. – Foi submetida a cirurgia em Abril de 2001 para retirar inchaços benignos do útero e do colo uterino. Também está a consultar o especialista para ver se tem células anormais. Acorda muitas vezes de noite. Choques eléctricos. Viva aprox. a 200 metros do mastro. 44 anos.
14.    MASC. – Tumor raro do tamanho de um punho no topo da coluna cervical. Diagnosticado e operado em Fevereiro e 2 de Março de 2003. Perturbações do sono e choques eléctricos. Passado um tempo desenvolveu doença dos neurónios motores [ALS] e subsequentemente morreu no final de 2004.
15.    FEM. – Em Abril de 2001 foi submetido a cirurgia para remover inchaços benignos do útero e do colo uterino, continua a ir ao especialista por causa de células anormais. Vive aprox. a 200 metros do mastro. 45 anos.
16.    MASC. - Filho da senhora 1, tem hemorragias nasais terríveis. Vive a 102 metros do mastro. 12 anos.
17.    MASC. – Erupção cobre todo o corpo excepto a face. Está a ir a um dermatologista. Esta erupção desenvolveu-se há 12 meses atrás. Vive aprox. a 200 metros do mastro. 20 anos.
18.    MASC. - Erupção. Desenvolveu a mesma erupção que o vizinho, também está a ter consultas com um dermatologista. Vive aprox. a 200 metros do mastro. 17 anos.
19.    FEM. – Sintomas típicos de hipersensibilidade electromagnética e sensitividade múltipla e deficiência hormonal. Vive a 102 metros do mastro. 49 anos.
20.    MASC. – Marido da senhora 19 sofre de sensibilidade à luz durante o início da manhã. Perturbação do sono. Acorda muitas vezes e não consegue voltar a dormir. A 102 metros do mastro. 50 e poucos anos.
21.    FEM. -  Irmã do homem com erupção. Tem problemas do sistema imunitário, infecções virais, problemas de garganta constantes. Vive aprox a 200 metros do mastro.
22.    MASC. -  Infecção no ouvido originando surdez e a zumbido no ouvido. 33 anos. Tem vivido aqui toda a sua vida.
23.    MASC. – Hemorragias nasais e pele cheia de escamas. Criancinha.
24.    MASC. – Trabalha na loja de golf desde que abriu, que está em frente ao mastro, tem doença de Crohn diagnosticada em 1995. 
25.    FEM. – Num período de 3 anos viveu 18 meses na casa, parece ser uma erupção de tipo diferente. Estava espalhado em pedaços por todo o corpo, até mesmo debaixo do couro cabeludo Dois anos. 2 anos e meio. Também tem hemorragias nasais?
26.    FEM. -  Mãe da senhora 25. Perda de memória. Nos últimos 6 meses.

Em Agosto de 2002 uma senhora de 70 anos de idade que se supunha estar em geral de boa saúde foi ao hospital para uma operação de rotina ao joelho. A operação correu bem mas ela morreu pouco depoois. Isto pode estar ou não relacionado com as doenças descritas em cima.

Resumindo: 25 pessoas em 53 têm sintomas. Existem 5 cancros do seio, 4 pessoas a quem se lhe tiraram inchaços dos seios, 1 com cancro do colo uterino, 3 com erupções, 4 com valores baixos de leucócitos, 5 com dores de cabeça (estas podem ser insuportáveis e durar vários dias), 3 com deficiências hormonais e menopausa precoce, 4 com cansaço extremo, 6 com choques eléctricos, 10 com zumbido nos ouvidos. A maior parte das pessoas tem perturbações do sono, outras um zumbido contínuo, dormência, formigueiros, sensação de picada aguda, enrijecimento das articulações, estalar das junções, dores no peito e sensação interna de calor/ardor. Muitos dizem que os seus sintomas melhoram quando estão longe de Wishaw. Várias pessoas foram interrogadas pelos médicos sobre se trabalharam ou se tiveram exposição a químicos/radiação/drogas ou abuso do álcool. Um número de pessoas afectadas em Wishaw tinha um número muito reduzido de neutrófilos.

Curdworth, povoação perto de Wishaw: uma doença dos neurónios motores
http://omega.twoday.net/stories/580224/ 
) Wishaw, Midlands
O jornal The Birmingham Post relatou em 2004 que as pessoas que vivem na parte central da Inglaterra, na aldeia de Wishaw, perto de Sutton Coldfield, estão convencidas que um poste de telemóveis é responsável pelos seus problemas de saúde, incluindo cancro. Quase oitenta por cento das pessoas que vivem perto de um poste em Wishaw, perto de Sutton Coldfield, já adoeceram: cinco com cancro da mama, uma com cancro da próstata e um com cancro dos pulmões, três com células cervicais pré-cancerosas, e um com ALS – um homem que também teve um enorme tumor removido do topo da sua espinha dorsal. Alguns dos habitantes da aldeia desenvolveram tumores benignos, e alguns relataram que sofrem de hipersensibilidade eléctrica. Em Novembro de 2005, o poste de 21 m foi demolido por uma pessoa desconhecida. Desde então a saúde de muitos residentes tem melhorado gradativamente, e um número de mulheres previamente estéreis está agora nos últimos estágios de gravidez. Os residentes, temerosos de que seja erguido outro poste, bloquearam a área durante meses, impedindo a T-Mobile de colocar novo equipamento. (Philips 2006, 3-5)


19) BURNLEY, Lancashire
onde vivem 37 pessoas. 6 têm cancro duas morreram e algumas mudaram-se.

1.    MASC. - 3 a 5 anos exposto ao mastro. A 180 metros. Zumbido, batida irregular do coração, ataques epilépticos.
2.    FEM. – Dorme no sítio onde incide um feixe de radiações. O corpo fica aquecido como se fosse queimadura solar, com calor e ardor. “Eu estava são como um pêro antes de vir para aqui.”
3.    MASC. - Um filho tem pressão alta e ouve o zumbido à noite.


20) STAFFORDSHIRE

HABITANTES USAM METAIS PARA SE PROTEGEREM DOS MASTROS
4 de Março de 2004
Por Emma Pinch, Birmingham Post

Os habitantes de Staffordshire estão a cobrir as suas paredes com papel de alumínio e uma rede de zinco para contrariar os perigos para a saúde que acreditam ser colocados pelos mastros de telemóveis perto das suas casas.
    Os residentes de Essington acreditam que as à volta de 20 antenas de comunicações que rodeiam a sua povoação podem ter causado problemas de saúde que vão desde erupções cutâneas até cancros infantis.
    Algumas pessoas estão agora tentando contrariar o que consideram radiações electromagnéticas nocivas emitidas pelos mastros através da cobertura das suas paredes e tectos com várias substâncias diferentes e instalando janelas fortalecidas com bronze. Duas estações-base enormes erguem-se em ambos os lados na entrada de Essington.
    A estrutura de um mastro com 53 metros posiciona-se num dos lados da Bognop Road e um mastro de 48 metros levanta-se no outro, com uma colecção de antenas em cada um. Há um ano atrás um mastro da Orange foi morar numa defunta torre de depósito de água na Hawthorn Road e a T-mobile está aguardando permissão do Departamento de Comércio e Indústria para também erigir um mastro. Os habitantes escreveram 100 cartas de protesto. “Estamos simplesmente rodeados de mastros”, disse uma conselheira paroquial. “A nossa sensação é que estamos sob assédio.” Ela alega que um grande número de pessoas parece estar contraindo o cancro na povoação e que havia, localmente, receios de que o problema estava ligado à proliferação dos mastros de telemóveis. “Por exemplo, o meu cunhado contraiu o cancro com 50 anos e existem pelo menos três crianças com leucemia. Algumas pessoas têm erupções cutâneas que não desaparecem. Os meus netos têm estado a sofrer de dores de cabeça e insónia. A nossa preocupação é que isto tenha a ver com os mastros.” Esta senhora substitui as suas janelas com vidro novo, que é filetado com uma malha de bronze, e forrou o sótão e o tecto com papel de alumínio. Também tem uma cortina portátil feita de uma fina rede de níquel para usar nos vários quartos. Os seus dois filhos, que vivem com as suas famílias em casas nas proximidades, forraram vários quartos com alumínio e rede de níquel quando as suas crianças se queixaram de dores de cabeça e insónia. Pelo menos outras seis famílias na povoação estão a seguir o seu exemplo. Um amigo que sofre de erupções cutâneas vai experimentar com uma cobertura de cabeça em níquel, estilo balaclava, enquanto outros investiram em cobertores de cama em níquel. Esta mesma senhora disse “a primavera chegou e eu devia estar a tratar do jardim, mas agora vou passar apenas o mínimo de tempo lá fora.”
    O chefe do departamento de controle da Assembleia Distrital de South Staffordshire, Bill Meridith, disse que havia “bastantes” mastros de telemóveis no interior e à volta de Essington, visto estar ao lado das auto-estradas. “Essington está muito perto da M6 e da M54 e as companhias de telemóveis procuram esta áreas devido à grande utilização que se dá nestes percursos,” disse ele.   
    Um porta-voz da Orange disse que a operadora tinha cinco mastros na área. “Todas as emissões das nossas estações de base cumprem os limites de segurança estabelecidos pela Comissão Internacional sobre Protecção contra a Radiação Não-ionizante”, disse. “No que nos diz respeito, se os estão cumprindo não existe impacto nocivo para a saúde.”


21) HUDDERSFIELD
Informação já antiga, enviada a alguém noutra concentração de casos – estou procurando pelo contacto. 2 casos de cancro atribuídos a um mastro em 2000, muitas dores de cabeça e perdas de memória.

22) RANDWICK
Um conselheiro paroquial diz que muitas pessoas têm cancro e que pensam que é devido ao mastro.

23) DURSLEY
3 mastros TETRA pequenos em 3 direcções. 3 ou 4 dias depois pessoas começaram a apresentar sintomas – irritações da pele por todo o corpo, enchaquecas ao levantar, hemorragias nasais. Um senhor sentiu o seu corpo ficando mais quente. Dois casais com muitos problemas também trabalham em casa.

24) SOUTHPORT
Definitivamente uma concentração de casos de cancro, ainda não temos detalhes.

25) LEEDS
Povoação perto de Leeds onde 4 locais desenvolveram tumores cerebrais. Não há detalhes.

26) STOCKPORT
Concentração de casos de doença. Poder ter havido cancros, sem detalhes.

27) LUTON
Existe um aglomerado de doenças, onde podem haver alguns cancros, sem detalhes.


AGRADECIMENTOSEste relatório é o resultado do trabalho árduo e da dedicação de uma activista/investigadora que passou dois a três anos da sua vida, sem nenhum apoio financeiro, a acumular dados estatísticos.Na sua pesquisa foi ajudada por vários cientistas respeitados que também dedicaram o seu tempo a pesquisar sobre doenças à volta das estações de base (antenas) de telefone móvel, em conjunto com outros Activistas. Também reconhecemos que vários jornais e jornalistas deram o seu valioso contributo.TODOS OS NOMES E MORADAS FORAM ELIMINADOS PARA GARANTIR O ANONIMATO. NO ENTANTO, TANTO GRUPOS DE PESSOAS COMO INDIVÍDUOS PODEM SER CONTACTADOS EM:
SCRAM’S ACTION LINE ON 0121 313 3718.NB:  Caso pretenda adicionar os resultados estatísticos do seu grupo a este documento por favor envie-os para  upload@.  Lembre-se, por favor, de proteger a identidade das pessoas eliminando todos os nomes/moradas.

http://omega.twoday.net/stories/580224/ 
www.scram.uk.com 




35) Berkeley House, Staple Hill, Bristol


611_Evening_Post_photo_trim_copy.jpg


EVENING POST  4.11.2006
RISCO DE RADIAÇÃO NO TELHADO
Os residentes de um edifício de andares têm a sensação de estar no “corredor da morte” devido à existência de duas antenas de telemóveis no seu telhado. As pessoas que vivem em Berkeley House, Staple Hill, reclamam que a radiação emitida pelas antenas da Vodafone e da Orange está a prejudicar a sua saúde. Afirmam que nos oito andares no piso superior, cinco pessoas morreram de cancro e duas contraíram a doença - e a taxa de cancro dos residentes no piso superior é quase o dobro da média nacional. Entre os 110 residentes do prédio de cinco andares alguns têm-se queixado de problemas, incluindo dores de cabeça, desordens sanguíneas e insónia.
    Alguns residentes contactaram o Evening Post depois de termos relatado que uma outra companhia telefónica, com o nome de “3”, quer, agora, colocar uma antena no seu telhado.
    A Assembleia concelhia de South Gloucestershire pediu à Vodafone e à Orange para removerem as suas antenas, mas as firmas estão envolvidas numa disputa legal com a Assembleia. Ambas as companhias tinham contratos de 10 anos para as suas antenas. O contrato da Vodafone expirou em Outubro de 2003 e o da Orange em Agosto de 2004. A Assembleia notificou-os no sentido de deixarem o local, mas ambas as companhias apresentaram contra-notificações.
    A presidente da Associação de residentes de Staple Hill, Doreen Sheppard, de 73 anos, disse que sete pessoas morreram ou contraíram cancro desde que as antenas foram instaladas. Segundo a senhora Sheppard “nenhuma delas disse que tinha cancro antes das antenas terem sido colocadas pelo que cremos ser mais do que uma coincidência. Quando colocaram as antenas havia aqui muito poucas crianças. Mas mudaram-se para cá muitas mães jovens com os seus filhos. É preciso retirar as antenas para protejer a sua saúde.”
    Mike Cole, de 70 anos, que vive no quarto andar, disse que a sua mulher, Corinne, 50, sofre de falta de plaquetas no seu sangue, o que acredita estar relacionado com a antena. Ele disse: “Aqui é como se estivessemos a viver no corredor da morte, com o número de pessoas que morreram. Estamos constantemente a pensar em quem vai morrer a seguir. Você não iria querer uma destas torres no fundo do seu jardim, portanto, porque é que iria querer uma por cima da sua cabeça?”
    A sua campanha é apoiada pelo conselheiro Shirley Potts (Trabalhista, Staple Hill), que disse: “Estou muito preocupada porque estamos a tentar obter uma reacção há já tanto tempo. Já é altura de as pessoas serem ouvidas e da antena ser tirada.”
    Os cientistas estão divididos sobre o perigo potencial das antenas móveis. Um estudo recente no Journal of Cancer detectou que o risco de cancro triplicava para os habitantes próximos de uma antena de telemóvel. Mas em Maio deste ano a Organização Mundial de Saúde afirmou que a quantidade de radiação emitida pelas antenas era segura.
    O Dr. Julie Sharp, gerente de informação científica do Cancer Research UK, disse: “Em 2000 um estudo independente analisou a saúde das pessoas vivendo perto de mastros de estações de telefones móveis. O relatório concluiu que a análise dos dados sugere que não existe risco em geral para a saúde das pessoas que vivem perto destas estações. Mas como os telemóveis são uma tecnologia relativamente recente esta situação está sendo constantemente monitorizada pelo “Painel Nacional de Protecção Radiológica”.
    O Dr. Tom Frewin, porta-voz da Associação Médica Britânica em Bristol, diz: “Não há certezas no que diz respeito à segurança das antenas de telemóveis. Existem muitos relatos anedóticos que sugerem que elas, de facto, fazem aumentar a incidência de cancro, mas também existem dados segundos os quais elas são perfeitamente seguras.”
    O porta-voz da Orange, Rebecca D’Arcy, afirmou: “Aparentemente cada um dos indivíduos em causa (na Berkely House) tinha um tipo de cancro diferente e é claro que existem factores variáveis de idade e estilo de vida que as pessoa não levam em conta. É compreensível que as pessoas procurem algo específico que possam acusar. É interessante os residentes acreditarem que se as antenas forem retiradas ficarão livres da radiação, mas não será assim. De facto, uma chamada de 90 segundos num telemóvel é o equivalente, em termos de exposição, a ficar em frente a uma antena durante 24 horas sem se mexer. Somos, evidentemente, sensíveis ao facto de alguns residentes terem problemas de saúde, mas não existem provas que sugiram que as antenas de telemóveis sejam, em alguma maneira, a causa das suas diversas doenças.”
    A Senhora D’Arcy disse que a antena da Orange continuava no local visto a Assembleia ter falhado em apresentar uma notificação de remoção válida.
    O porta-voz da Vodafone, Rob Matthews, disse. “Estamos a trabalhar com a autoridade local no sentido de ir ao encontro das preocupações dos residentes, mas o facto é que pagamos a renda pelo local até Abril de 2007. Não existem provas que sugiram que as antenas causem qualquer problema de saúde. Um relatório da OMS diz que é totalmente seguro viver perto delas.”
    A porta-voz da Assembleia, Sarah Hudspith”, disse: “Ambas as companhias de telefone móveis foram notificadas para deixarem o edifício, notificações essas que foram recusadas, mas estamos ainda a negociar uma solução.”

36) Norte do Yorkshire
Em Março de 2001, um artigo apareceu no jornal The Sunday Times. Era sobre a família Smith, que viveu durante três décadas no norte de Yorkshire numa casa à sombra de uma torre de electricidade. Nesta família nunca houve registo nenhum de cancro. Mas em 1996, a mãe morreu de cancro e agora o pai tem a doença. Em 1988 um filho de 18 anos, morreu de cancro do fígado. O gato e o cão de família, junto com um animal de estimação do vizinho, foram diagnosticados com cancro. Janette, a filha dos Smith, está convencida de que o que causou o cancro foram os fios eléctricos.    

37) Norte do Yorkshire
A história da família Smith é trágica, mas não é, de maneira nenhuma, a única. Por exemplo, a secretária da filial local da União Nacional de Agricultores descobriu nove casos de cancro em 19 casas ao longo de uma extensão de 8 km com linhas de energia. E há muitos mais casos desses em todo o Reino Unido.

38) Exeter, Devon
Em Exeter, Devon, uma rua onde uma torre de electricidade de 132,000 volts aparece em frente às casas de alguns residentes, foi apelidada de “ A Rua da Morte”. Em 28 casas, 23 pessoas morreram de doença do coração ou cancro. Na verdade, o número de doenças de cancro nesta rua é cinco vezes mais alto do que o número normal em Devon e Cornwall. Os residentes também se queixam de depressão, dores de cabeça e falta de memória.

39) Devon
Também em Devon, uma menina de 7 anos chamada Emma, que vivia perto de um poste de telemóveis de 15 metros de altura, foi diagnosticada com leucemia. O poste emitia ondas que passavam directamente através da casa da Emma para poderem alcançar o centro da cidade. A mãe de Emma foi então diagnosticada com cancro da mama, e outros três residentes que estavam no enfiamento do poste também desenvolveram cancro. Depois de longos protestos de uma cobertura dos mídia a nível nacional, a companhia telefónica Orange finalmente concordou em mudar o poste para um local mais apropriado.

40) Subúrbios de Manchester
Em 1989,a família Studholme comprou um bangalô nos subúrbios de Manchester. Um contador de electricidade dentro do armário da entrada, emitia um forte campo electro-magnético através da parede para dentro do quarto da frente. Simon, o filho do casal, dormia com a cabeça a menos de 1 metro do contador. Começou a reclamar com dores, mas os médicos não encontraram nada. Passados 18 meses desenvolveu leucemia linfática aguda. Morreu em 1992 com a idade de 13 anos. Exames subsequentes revelaram que Simon tinha dormido num campo electromagnético de mais de 2.5 microtesla (…) sessenta vezes acima da média do nível de exposição nos lares do Reino Unido. A orientação da Agência de Protecção á Saúde do Reino Unido permite exposição até 100 microtesla. (Philips 2006, 3-5)

41) local desconhecido
Numa comunicação pessoal, uma enfermeira mencionou-nos um estudo de pressão arterial feito com residentes vizinhos de uma antena de telemóveis local. Foi-lhes tirada a pressão arterial “normal”, depois do que se aproximaram da antena e voltaram para se lhes tirar, de novo, a pressão arterial. A maior parte assinalou uma subida significante e uma pessoa manteve esta pressão alta durante duas semanas após a exposição. Disritmias cardíacas e hemorragias nasais podem ser o resultado desta mudança na pressão arterial. (1)

42)     Coleshill, Warwickshire
Grande mastro vai ser retirado (26 Abril 2007)
Uma campanha de protesto orquestrada por um cientista reformado de Sutton Coldfield levou a O2 a concordar em desmantelar um enorme mastro de telemóveis com 27 metros, em Coleshill.
    O físico, Dr. John Walker, 76 anos, asseverou que concentrações de casos de cancro podiam ser atribuídas ao mastro existente na escola primária de St. Edward.
    Uma rua nesta cidade no norte de Warwickshire tinha 31 casos de cancro – envolvendo casa sim casa não, de acordo com um levantamento levado a cabo por uma residente, Jackie Slater.
(http://icsuttoncoldfield.icnetwork.co.uk/news/ - procurar: huge phone mast)


IRLANDA DO NORTE

28) Cranlome Hill Ballygawley County Tyrone
6 cancros em 5 casas. As casas estão todas umas ao lado das outras numa fiada a cerca de 100 metros de um mastro com 35 peças de equipamento. Contudo isto não é a contagem final. Existem pessoas, no outro lado do pequeno monte onde o mastro estava, que também contrairam cancro e que morreram desde que o mastro foi erigido. A quantidade de doenças e de mortes por cancro vai ser investigada pelas pessoas que conhecemos no lado do mastro. Uma das 6 pessoas nas 5 casa que morreu de cancro recentemente é um homem nos seus 50 e tal anos com 7 crianças. (Uso o pretérito imperfeito ao falar do mastro porque ele foi deitado abaixo misteriosamenteem 14 de Dezembro de 2002)

29) SAINTFIELD
Existem 9 crianças com leucemia num raio de de 800 metros. Também existem 6-7 adultos com cancro. Existem dois mastros perto de uma escola primária. Isto passa-se numa pequena vila com apenas 3.000 habitantes.

“A natureza não envia mensagens pelas microondas”.

Uma mulher com uma criança com leucemia, mas não devido ao mastro, foi às autoridades locais analisar os registos sobre leucemia. A comunidade juntou-se e decidiu que já tem que fazer face a uma dor suficientemente grande e não quer publicidade ou telefonemas.  Os jornalistas já andaram atrás deles. No entanto esta senhora fez referência a um agricultor em Pentland que montou, ele próprio, um mastro, a 40 metros da sua casa, e agora o seu filho tem cancro. Isto é altamente confidencial, pois ele não consegue  fazer face ao que aconteceu e sente que ele próprio foi o causador da doença do seu filho.

30) LURGAN, IRLANDA DO NORTE
6 pessoas no perímetro da campo de futebol foram diagnosticadas com cancro. Numa casa um homem e a sua mulher ambos têm cancro. Uma senhor morreu. Os mastros situam-se no campo de futebol. O primeiro foi erigido em 1993.  É um mastro da Vodaphone. Apesar dos cancros, 4 novos projectores foram colocados em 2002, cada um carregando 8 peças de equipamento da Telecom. (Uma peça de equipamento quer dizer uma antena ou um disco de microondas.)

No mês passado era suposto serem erigidos mais 6 mastros.
Um senhor de 37 anos diagnosticado com cancro há 7 anos, em 1995. O primeiro mastro foi erigido em 1993.

Um médico em Belfast foi citado dizendo: “Numa rua, todos têm cancro”.
 

PAÍS DE GALES

31) MILFORD HAVEN, SUL DO PAÍS DE GALES
Existem quatro ruas à volta deste mastro, só sabemos o que se passa numa. Nesta rua 6 pessoas foram diagnosticadas com cancro, 4 morreram. O artigo no jornal é sobre uma criança que tinha epilepsia desde os 6 meses mas que melhorou e estava fora de medicação desde os 2 anos. Quando o mastro foi erigido ela ficou severamente epiléptica, ao ponto de ter 4, 5 ou 6 ataques por dia. Os seus ataques paravam quando estava longe de casa; depois de um dia particularmente bom em casa a sua mãe descobriu que o mastro tinha sido desligado. O mastro da Orange estava a 70 metros da sua casa. (Esta família já se mudou)
http://omega.twoday.net/stories/580224/

32) POVOAÇÃO DE STORMY DOWN NO MID GLAMORGAN, GALES DO SUL

Problemas de saúde na área até 150 metros de duas torres de rádio de 15 metros. Uma está a funcionar há 12 anos, a outra há 6.

1.    MASC. – A 150 metros do mastro desenvolveu lesões cerebrais. Tem agora dores de cabeça fortes, está a tomar analgésicos e não consegue trabalhar. 50 anos.
2.    PARCEIRA – A 150 metros do mastro teve a doença de Crohn, a qual estava em remissão. A doença reapareceu e esta senhora também desenvolveu problemas da tiróide, erupções na pele e infecções nos ouvidos. 50.
3.    MASC. – Cancro do pâncreas, fica com dores de cabeça. A 200 metros do mastro.
4.    FEM. – Esposa do senhor 3, tem síndrome do cólon irritável, dores de cabeça, problemas de sono e sente-se anormalmente cansada. Diz que se tem sentido “doente desde que o mastro foi levantado”. 40 anos.
5.    FEM. –  Filha adolescente de 3 & 4, tem hemorragias nasais severas e dores de cabeça, toda a família tem dores de cabeça.
http://omega.twoday.net/stories/580224/

33) POVOAÇÃO PERTO DE PORT TALBOT MID GLAMORGAN
Onde existe, há 6 anos, um mastro da Vodaphone com 15 metros (informação de 2002). Pelo menos seis famílias perto de um mastro da Vodaphone com 15 metros, que foi levantado há 6 anos, (desde 1996), foram atingidas por uma doença misteriosa. Os sintomas incluem dores de cabeça, tonturas e um problema do seio paranasal que origina uma sensação de ardor e um sentido do olfato anormalmente apurado. (O desconforto derivado da sinusite pode ser intenso) Dois dos afectados desenvolveram tumores no tecido mole do seio e do qual foram informados que não era maligno.

1.    MASC. – Tumores no tecido mole do seio paranasal 200/300 metros do mastro. Alteração no sentido do olfato. Homem 40 e tais.
2.    MASC. - Tumor atrás do olho Dores de cabeça fortes, sentido do olfato aumentado. A 200 metros do mastro. Desde que o mastro se levantou “nunca mais se sentiu  bem”. 40 e tais.

Pode ser relevante of facto de que a área à volta dos seios paranasais está carregada de magnetite (uma substância magnética que pode ser encontrada nos corpos de animais e de seres humanos) e de ferro. O efeito que os campos electromagnéticos / microondas possam ter nestes e em outros ‘metais’ tais como o cobre, que existe no sangue, é desconhecido. Talvez no futuro o facto de ferro e cobre existirem no sangue seja relacionado com a descoberta de que campos electromagnéticos e leucemia parecem estar associados. Os cientistas encaram a possibilidade mas não foi feito nenhum trabalho em nenhuma destas áreas. Também poderá ser relevante a confirmação médica de que os campos electromagnéticos podem afectcar os nervos olfativos.
http://omega.twoday.net/stories/580224/

43) Em Abergavenny, no País de Gales, num período de 18 meses, 4 vizinhos que viviam perto de fios eléctricos, desenvolveram tumores no cérebro.  


ESCÓCIA

34) FIFE
CONCENTRAÇÃO DE CASOS LEVANTA RECEIOS SOBRE TORRE DE RÁDIO. (Citado de um jornal de Dundee – The Courier 27.8.02)
Por Michael Alexander

‘Foram ontem expressos receios de que potentes torres de rádio e transmissores de telemóveis possam ser responsáveis por quase uma dúzia de casos de cancro, doenças dos neurónios motores e Parkinson numa área rural no NE de Fife.
    Os residentes num raio de dois quilómetros das torres em Drumcarrow Hill, perto de St. Andrews, disseram ontem que parecia ser “mais do que uma coincidência” que o “aglomerado de casos” de doença só tenha aparecido depois que o que supôem ser um transmissor do tipo TETRA ter sido erigido há cerca de quatro anos atrás. Ontem exigiram um inquérito independente pelo Executivo escocês sobre a segurança das torres de comunicação policiais TETRA, que estão planeadas para ser colocadas em vários locais de Fife.
    Um número de peritos foi convidado para um encontro esta noite na câmara municipal de St. Andrews, para debater preocupações sobre potenciais riscos para a saúde das torres TETRA. Os habitantes locais disseram que mais e mais questões continuam a ser levantadas.
    Catherine Gamba, uma enfermeira reformada de Peat Inn, disse ter tido conhecimento de várias pessoas que adoeceram nas áreas de Peat Inn, Radernie e Denhead, nos últimos dois anos. Recentemente fez uma pesquisa adicional e ficou com a noção da escala “aterradora” desta situação.
    Drumcarrow, quatro quilómetros a sudoeste de St. Andrews, é uma área esparsamente populada constituída por quintas, casas de campos e aldeias. A Sra. Gambia disse que nos últimos três anos, esta região tinha visto quatro casos de doença dos neurónios motores, normalmente muito rara, quatro casos de cancro da tiróide e vários outros cancros, um caso de Parkinson e uma senhora que desenvolveu ME [encefamielite miálgica/ síndroma da fadiga crónica].
    A Sra. Gamba assevera que os problemas só surgiram depois que uma nova torre, do tipo TETRA, foi erigida pela Dolphin Telecommunications Ltd.
    Ela disse: “foi horrível descobrir que estes casos só surgiram depois de esta torre ter sido levantada, aparentemente sem nem sequer ser exigida uma permissão do planeamento. Actualmente o mastro não está associado à planeada torre TETRA da polícia, mas tem uma tecnologia similar.
    “De momento não podemos provar que este mastro seja responsável – também estamos preocupados com os mastros de telemóveis em Radernie, junto ao local onde três mulheres desenvolveram problemas da tiróide. Mas se houver uma ligação, a última coisa que precisamos é de mais torres TETRA. Isto tem implicações não apenas para nós mas para as pessoas em todo o país e no mundo inteiro.”
    Yvonne Gibb vive em Radernie há 12 anos e nos últimos três anos tem sofrido de hipotiroidismo. Não tem dúvidas de que há uma conexão entre os mastros e a sua falta de saúde. “Descobri que tinha uma problema na tiróide quando comecei a adormecer a todo o momento, e agora tenho que tomar Tiroxina todos os dias, para o resto da vida. Foi só quando comecei a falar com mais e mais pessoas que constatei que as pessoas estavam a ficar doentes.”
    Christine Clarke, uma engenheira conceptual, que cresceu perto de Drumcarrow, sofre de ME. A sua mãe, Kathleen, morreu com a idade de 69 anos, em Dezembro de 2000, de doença dos neurónios motores. Viveu por mais de trinta anos à sombra de Drumcarrow, mas só adoeceu quando o mastro da Dolphin foi erigido.
    A Sra. Clarke disse: “A minha mãe disse-me que estava convencida existir uma conexão entre o seu estado e o novo mastro Dolphin/TETRA. Estudos demonstraram que os efeitos do gás radão proveniente dos antigos poços da mina podem ser intensificados pela radiação electromagnética. Existe um número excessivo de minas de carvão em Radernie e de minas de ferro en Denhead.”
    A Sra. Clarke disse também que “existe, em média, um caso de doença dos neurónios motores por 200.000 pessoas durante a sua existência. No entanto, com uma população de 250.000 em Fife, temos três ou quatro casos de doença dos neurónios motores – três vezes a média nacional – num raio de três quilómetros em apenas dois anos.”
    A Sra. Gamba disse que tinha escrito à Assemblia Municipal de Fife e que tinha contactado o MSP [membro do parlamento escocês] Iain Smith.
    Ontem uma porta-voz do NHS [National Health Service – Serviço Nacional de Saúde] de Fife disse que desconheciam a existência de qualquer concentração de casos mas que iriam investigar, se algum pedido lhes fosse feito nesse sentido.
    Ninguém pôde ser contactado em Basingstoke, sede da Dolphin, devido ao feriado oficial inglês. A companhia de telemóveis Airwave Mm02, que requereu a colocação de torres TETRA como parte de um sistema que melhorará as comunicações via rádio para os serviços de emergência, mantém-se resoluta quanto à segurança dos mastros. A Polícia de Fife também insistiu em que os mastros propostos não colocam perigo.
    Isto espelha o que aconteceu numa casa em frente aos nossos mastros com um edifício de chapa ondulada. Também tinham 2 mastros nas suas traseira. A senhora contraiu uma doença cerebral rara e o mesmo aconteceu na casa afastada algumas casas dela. O marido tinha cancro do pulmão e uma pessoa que estava a viver com eles tinha Parkinson mas melhorou quando se mudou. O profissional de saúde que cuidava do marido teve um cancro extraído da sua face. A tractorista no campo a seguir tirou um peito e o estômago. A sua família tem uma história má em relação ao cancro. Uma senhora 2 casas à esquerda tem um cancro dos ossos na face. A outra casa tem uma senhora com uma espinha dorsal que está desaparecendo. Ovelhas cairam mortas nesta quinta em frente ao mastro apesar de aparentemente estarem muito saudáveis e de não estarem doentes. Isto foi testemunhado presencialmente por uma pessoa que afirmou “ela simplesmente caiu para o lado, morta.” O carneiro foge constantemente e agora está comigo. Eu fico com hemorragia nasal se subo o monte em direcção ao mastro e uma senhora de nome Janice e dei-lhe um monitor cardíaco. Ela teve leituras preocupantes e levaram vários dias para voltar ao normal. Temos pessoas jovens e velhas com problemas de pressão arterial, tiróide, perturbações do sono, assim como tinitus, cancros e tumores não-cancerígenos. Várias pessoas perderam a força num membro. Fui informado de que existe aqui um “ponto quente” (hot spot), o que foi confirmado por Bradley. Apesar da maior parte destas situações terem surgido desde há poucos anos atrás penso que a história vem desde cerca de 1986 ou por aí. A filha na casa abandonada, nas traseiras da quinta, desenvolveu um tumor cerebral.
http://omega.twoday.net/stories/580224/


SUÍÇA


1) Um estação de rádio em Schwarzenburg, Suíça, foi encerrada depois de a comunidade local ter associado as baixas exposições a RF a efeitos nocivos à saúde tais como ansiedade, inquietude, insónia, dores nas articulações, dificuldades de concentração, fraqueza geral e cansaço. (Philips 2006a, 3)



Bibliografia
Becker, Robert O.  1990.  Cross Currents – The Promise of Electromedicine, The Perils of Electropollution.  Jeremy P. Tarcher/Putman, New York, 336 pp
Kellner-Read, Bill.  2002.  Toxic Bite.  Credence Publications, Tonbridge, Inglaterra, 228 pp
Philips, Alasdair and Jean.  2006.  The Powerwatch Handbook – Simple ways to Make You and Your Family Safer. Piatkus Books Ltd, Londres, R.Unido, 294 pp
Philips, Alasdair and Jean.  2006a.  EMF and Microwave Protection for you and your family.  Powerwatch Publications, England, 36 pp

(1) http://www.powerwatch.org.uk/subscriber/index.asp - Mobile Phone Masts and Wireless Computing (Version 1.1.1) section 04







 

©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional