Nuclear

 

Epidemia de Cancro

A actual epidemia de cancro é o resultado da poluição da energia nuclear e da exposição à chuva radioactiva atmosférica global devido aos testes militares, que atingiu um pico no período 1959-63, de acordo com um relatório do Comité Europeu de Risco da Radiação (ECRR) publicado em Janeiro de 2003. Este relatório calcula que as libertações radioactivas até 1989 possam ter causado, ou irão eventualmente causar, a morte a 65 milhões de pessoas em todo o mundo.
(http://www.epha.org/a/710)



Chernobyl
O acidente de Chernobyl foi um desastre nuclear de proporções catastróficas que ocorreu em 27 de Abril de 1986 na Central Nuclear de Chernobyl, na Ucrânia (então parte da República Socialista Soviética da Ucrânia, parte da União Soviética). É considerado o maior acidente de uma central nuclear na história e é o único acontecimento de nível 7 na escala Internacional de Acidentes Nucleares.
http://en.wikipedia.org/wiki/Chernobyl_disaster

Como disse Chernousenko, de longe o maior desastre que alguma vez aconteceu na história humana, em vez de apenas uma pequena percentagem da radioactividade – a partir das centenas de toneladas de urânio e grafite que estavam contidos nisto - oitenta por cento dos principais nuclídeos radioactivos do núcleo do reactor, como o estrôncio-90, iodo-131 e césio-131, escaparam de facto e cobriram o mundo inteiro. Ele diz que a sua estimativa é de foi libertada uma curie de radioactividade para cada pessoa no mundo. Ora uma curie é um milhão de milhão de picocuries e nós preocupamo-nos com uma picocurie no leite.
     --------
     Nuclídeo: termo genérico para indicar qualquer espécie nuclear, caracterizada essencialmente pelo número de protões e neutrões que possui.
     --------

Os efeitos do acidente foram muito maiores do que o público foi levado a crer.
Apenas nos EUA, algo como quarenta mil pessoas morreram acima das expectativas no verão de 1986, após Chernobyl.

Isto foi até notado nos Estados Unidos. O Doutor Jay M. Gould e eu [Dr. Ernest J. Sternglass] publicamos um estudo no Chem Tech, em Janeiro de 1989, mostsrando como as relativamente pequenas quantidades de radioactividade que atingiram os Estados Unidos originaram um aumento bastante significativo na mortalidade infantil em Junho e Julho desse ano. Algo como trinta porcento de aumento em relação ao meio do verão do ano anterior, nos estados atlânticos do sul. E a seguir houve um aumento da mortalidade total em relação ao ano anterior – entre Maio e Agosto de 86, logo a seguir ao acidente de Chernobyl, em comparação com Maio-Agosto de 85 – o aumento atingiu cinco porcento do número total de indivíduos que morreram com todo o tipo de doenças. Principalmente idosos, pessoas que já estavam doentes ou bébés recém-nascidos – aqueles que têm menos resistência e maior sensibilidade. E estava directamente correlacionado com a quantidade de iodo-131 medido pela EPA no leite, onde atigiu apenas o máximo de cerca de cem picocuries. Mas estes efeitos foram constatados para valores de apenas dez, vinte, trinta picocuries por litro no valor de pico registado por todo os EUA e, no entanto, originou um aumento claro. Algo como quarenta mil pessoas morreram acima das expectativas no verão de 1986, apenas nos Estado Unidos, após Chernobyl.
 

Three Mile Island
[…] DTR: mentira nº 3: “Ninguém ficou ferido ou morreu como resultado do incidente de Three Mile Island.”
    EJS: actualmente calculamos que algumas centenas de milhares de pessoas já morreram como consequência de Three Mile Island e que, apenas nos Estados Unidos, quarenta mil pessoas morreram devido a Chernobyl, milhares de quilómetros distante. Acreditamos – o Doutor Gofman e eu estamos de acordo – que milhões de pessoas morrerão prematuramente devido ao acidente de Chernobyl.
    DTR: Ao longo do tempo.
    EJS. Ao longo do tempo. Ao longo dos próximos vinte-trinta anos.

[Entrevista ao telefone com o Dr. Ernest J. Sternglass, físico e autor de Secret Fallout, Low-Level Radiation from Hiroshima to Three Mile Island
(“Chuva Radioactiva Secreta, Radiação Pouco Intensa de Hiroshima até Three Mile Island”)
© 1981 by Ernest J. Sternglass, McGraw-Hill Book Company.
November 11, 1992]
(http://www.ratical.org/radiation/inetSeries/ejs1192.html)

Os efeitos do acidente foram muito maiores do que o público foi levado a crer.
(http://www.ratical.org/radiation/SecretFallout/SFchp19.html)

http://www.iicph.org/docs/bertell_response_pressrelease_chernobyl_2005.htm - Joint News Release WHO/IAEA/UNDP, 5 September 2005


A OMS e a energia nuclear
http://saude.acordem.com/menu/1/40164//













©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional